Anúncio Advertisement

Pacientes renais transplantados correm risco até de morte com falta de medicamentos (ver vídeo)

Reprodução/internet

Em um vídeo enviado ao Radar, o paciente renal transplantado, Thiago Coelho, denuncia a falta de remédios no Centro de Medicamentos do Amazonas (Cema). As medicações são fundamentais para que os órgãos transplantados não sejam rejeitados, o que pode causar até a morte desses pacientes. Segundo ele, a falta do remédio já dura semanas e segue sem previsão de compra na instituição do Estado.

“Tem paciente que já está um tempo sem o remédio e agora não tem como um ajudar o outro, todos vão ficar sem remédio. O que vai gerar um grave problema porque ou o paciente volta para a fila da hemodiálise ou falece”, afirma.

Ainda no vídeo, o paciente faz um apelo ao novo governador do Estado. “Governador Wilson Lima por favor compre os remédios dos pacientes transplantados – que não vão permitir que os órgãos sejam rejeitados – e isso é de extrema urgência”, finaliza o interlocutor.

Em nota ao Radar, a Secretaria de Estado e Saúde (Susam) informou que os medicamentos imunossupressores estão em falta em todo o Brasil desde o dia 26 de dezembro. E que segundo o Ministério da Saúde, que fornece os medicamentos, a previsão de chegada é para esta quinta-feira (10).

Confira a nota na íntegra

A Central de Medicamentos do Amazonas (Cema) informa que os medicamentos imunossupressores estão em falta em todo o Brasil desde o dia 26 de dezembro.

Segundo o Ministério da Saúde, que fornece os medicamentos, a previsão de chegada é para a próxima quinta-feira, dia 10 de Janeiro.

O medicamento é disponibilizado por meio do Programa Estadual de Medicamento Especializado (PROEME), e tem sua compra financiada e realizada, exclusivamente, pelo Ministério da Saúde.

O ministério informou à Cema no último dia 3 que a entrega do medicamento para todo o Brasil foi prejudicada devido a um incêndio na fábrica que fornece o item ao governo federal.

Na ocasião, o ministério disse que fará uma contratação emergencial, com previsão de entrega no Amazonas em duas etapas: 10/01 e 30/01.

Na reunião, a coordenação da Cema prometeu mobilizar suas equipes, no fim de semana se necessário, para realizar a entrega dos medicamentos aos pacientes o mais rápido possível, assim que os mesmos chegarem ao Amazonas.”