Pai de Britney Spears é suspenso da tutela sobre a filha

Getty Images

Britney Spears, 39, não vai ser mais controlada pelo pai, Jamie Spears, que exercia a função de tutor da cantora desde 2008. A decisão, que tem efeito imediato, foi tomada pela juíza Brenda Penny nesta quarta-feira (29) durante uma audiência na Justiça americana.

Jamie havia anunciado que desistiria de ser tutor da filha, mas isso só seria concretizado na audiência sobre o caso marcada para janeiro de 2022.

Os advogados de Britney haviam pedido para acelerar esse processo -no que foram atendidos.

Entre os motivos que foram alegados na petição estava a vontade da cantora de se casar com o noivo, Sam Asghari. Ela não poderia assinar o acordo pré-nupcial sem a anuência do pai.

Até a próxima audiência, a fortuna da cantora segue sob a tutela de um contador, John Zabel, indicado pela Corte. Ele vai dar a palavra final com relação às decisões financeiras relacionadas ao patrimônio de Britney (avaliado em US$ 60 milhões, cerca de R$ 325 milhões).

Já Jodi Montgomery, que é responsável por assuntos pessoais e decisões médicas, também continua no cargo. Ela é uma tutora profissional, também indicada pela Justiça.

A decisão final sobre o encerramento da tutela ainda não foi tomada. O advogado de Britney, Mathew Rosengart, sugeriu que uma audiência para tratar do assunto seja marcada nos próximos 45 dias, de modo que a cantora poderia estar totalmente livre em outubro ou novembro.

Rosengart afirmou no tribunal que Britney estava de acordo com o que foi proposta pela juíza. Já Vivian Thoreen, advogada do pai da cantora, se opôs fortemente à suspensão e, segundo a imprensa americana, chamou Zabel de “estranho” no caso.

Esse é um dos capítulos mais importantes na novela sobre a tutela da cantora, que há 13 anos vem gerando manchetes nos tabloides do mundo todo. Só nos últimos meses, a cantora ganhou a permissão de contratar o próprio advogado, bem como deu um depoimento emocionado à Justiça sobre a tutela.

“Eu realmente acredito que essa tutela é abusiva”, disse ela na ocasião. “Não sinto que posso viver uma vida plena.”

Britney disse ainda ao tribunal que deseja ter mais filhos, mas foi impedida de fazê-lo. “Eu tenho um DIU em meu corpo agora que não me deixa ter um bebê e não me deixam ir ao médico para retirá-lo”, revelou. “Eu quero poder me casar e ter um filho. Disseram-me com a tutela que eu não era capaz de me casar e ter um filho”.

Também foram ganhando força as manifestações de fãs, que há anos usam a hashtag #FreeBritney para pedir que a cantora seja liberada da tutela. Muitos faziam vigílias em frente ao tribunal sempre que havia audiências sobre o caso, mesmo que Britney não estivesse presente.

Documentários como “Framing Britney Spears” também levaram a mais discussões sobre a questão da tutela da cantora. O arranjo jurídico é projetado para ser um último recurso necessário para proteger pessoas consideradas incapazes de cuidar de si próprias.

Britney vive sob tutela desde 2008, após uma série de internações psiquiátricas e colapsos públicos que foram registrados por paparazzi. Jamie foi nomeado o principal conservadora de Britney em fevereiro daquele ano. Ele compartilhou o papel com um advogado, Andrew Wallet, por muitos anos.

Wallet renunciou ao caso em março de 2019, e Jamie temporariamente deixou a tutela em setembro devido a sua saúde debilitada. Jodi Montgomery tem substituído Jamie desde então, mas o pai da cantora continuou responsável pelo patrimônio dela.