Pai e filhos vendiam produtos da ZFM pela internet e enviavam tijolos; golpe atingiu a cifra de R$ 1,5 milhão

familia presa capa

Darwin Rodrigues da Costa, 53; Henry Wendler Aggio da Costa, 22; William Wendler Aggio da Costa, 18; e Richard Wendler Aggio da Costa, 20, serão trazidos para Manaus ao longo desta semana, depois de serem presos durante a operação “Nigéria”, deflagrada na manhã do último sábado, dia 19, na cidade de São Paulo (SP), pela equipe do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) do Amazonas.

Delegada Fernanda Antonucci bDe acordo com a delegada do DRCO, Fernanda Antonucci, a ação contou com o reforço de policiais civis do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) do Estado e do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da capital paulista. Segundo a delegada, que coordenou as diligências em São Paulo, Darwin e os três filhos dele estavam sendo investigados por envolvimento em crimes de estelionato, praticados em diferentes cidades do País.

Antonucci explicou que as investigações em torno dos casos foram iniciadas há cerca de três meses, após dois representantes dos Correios em Manaus, sendo um do bairro Cachoeirinha e outro do bairro São Geraldo, procurarem os policiais do DRCO para denunciar irregularidades em encomendas postadas em Manaus com destino à capital paulista. Os funcionários estavam desconfiados com o número de pacotes enviados pelos infratores, principalmente depois que os destinatários começaram a reclamar que estavam recebendo tijolos no lugar das mercadorias compradas.

Delegado Rafael Allemand b“Ao analisarmos as imagens disponibilizadas pelos Correios e os nomes que eles registraram nas embalagens, descobrimos que Darwin e William vieram de São Paulo até a capital amazonense no dia 2 de dezembro de 2015 para mandar cerca de 500 tijolos para clientes residentes na capital paulista. Descobrimos que eles possuem uma empresa chamada AMKG, que oferece na Internet produtos bastante em conta, por supostamente serem oriundos da Zona Franca de Manaus. Eles forneciam, ainda, serviços para grandes lojas online em todo o território nacional”, explicou o diretor do DRCO, delegado Rafael Allemand.

O diretor do DRCO em Manaus informou, ainda, que no período de dez dias em que ficaram na capital amazonense, os infratores aplicaram golpes no valor de R$ 1,5 milhão. Além disso, foi descoberto que a empresa deles tinha contrato com os Correios, e por meio do benefício de um cartão, chamado “Correio Fácil”, eles podiam enviar grande quantidade de pacotes com maior rapidez e não tinham as mercadorias abertas para fiscalização.

“Após localizarmos os indivíduos, a equipe do DRCO foi até São Paulo e, com o apoio de integrantes do Grupo Fera e do Deic,  efetuou as prisões dos infratores. Na residência deles, localizada no bairro Chácara Inglesa, foram apreendidas duas motocicletas, avaliadas em R$ 100 mil, somando o valor das duas. Os mandados de prisão preventiva em nome dos infratores foram expedidos no dia 27 de janeiro deste ano, pela juíza da 11ª Vara Criminal, Eulinete Melo Silva Tribuzy”, explicou Fernanda Antonucci, delegada lotada em Manaus que coordenou a ação em São Paulo.

Os quatro infratores serão indiciados por estelionato e organização criminosa. Segundos os delegados do DRCO, um quinto elemento, envolvido com a quadrilha, encontra-se foragido. Darwin, Henry, William e Richard chegarão a Manaus nos próximos dias, onde irão prestar esclarecimentos em torno dos inquéritos policiais em que são citados. Eles serão apresentados em coletiva de imprensa que deverá ocorrer no prédio da Delegacia Geral, zona Centro-Oeste da cidade, com data a ser confirmada.

Fotos: Divulgação / Assessoria de Imprensa da PC-AM