Pais precisam ficar atentos com crianças e adolescentes na internet, alerta Polícia

Os pais e responsáveis podem tomar alguns cuidados no uso de redes sociais e aplicativos de mensagens por crianças e adolescentes, evitando que sejam vítimas de crimes de assédio e aliciamento pela internet. Na última quinta-feira (28), a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), da Polícia Civil, prendeu um consultor de informática investigado por armazenar imagens de cunho sexual envolvendo crianças e adolescentes.

O crime ocorreu dentro da 4ª fase da operação “Luz na Infância’’, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), e que envolveu mais de 1,5 mil policiais civis em todo o País com o objetivo de prender autores de crimes de abuso e exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes na Internet.

De acordo com a titular da Depca, Joyce Coelho, com o intenso uso das redes sociais, os adultos responsáveis por crianças e adolescentes, precisam ter atenção com o conteúdo compartilhado pelos menores e com quem eles se comunicam na rede mundial de computadores.

“Os pais precisam ter controle das redes sociais dos filhos e cuidado também com o que postam sobre as crianças. O pedófilo, em geral, é muito sedutor. Então, ele identifica a vítima e as suas vulnerabilidades e começa a envolvê-a, fingindo ser uma outra criança ou adolescente”.

Diálogo – A delegada explica que, após ganhar a confiança da vítima, na maioria das vezes se passando por crianças ou adolescentes, os criminosos as induzem a enviar fotos e vídeos íntimos e, em casos mais extremos, às convencem a aceitar encontros, em que ocorrem os abusos sexuais. Por isso, é importante manter o diálogo entre pais e filhos.

“Às vezes a criança, ou o adolescente, está carente em algum aspecto da vida familiar, não recebe a atenção devida da família, não tendo espaço para conversar sobre esses assuntos e acaba ficando vulnerável”, salientou.

ECA – O Artigo 241-D do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) considera crime as condutas de “aliciar, assediar, instigar ou constranger” por qualquer meio de comunicação, criança, com o fim de induzi-la a se exibir de forma pornográfica ou sexualmente explícita, sendo prevista pena de reclusão de 01 a 03 anos e multa.

Denúncia – A Depca fica na rua Adelaide Carraro, 256, bairro Planalto, e funciona em plantão de 24h, sete dias por semana. O telefone de contato da delegacia é 3656-8575. Denúncias podem ser feitas pelo 181, da Secretaria de Segurança Pública (SSP), e disque 100.

Com informações da assessoria da SSP-AM.