País recebe hoje 1º lote com 1 milhão de doses da Covax Facility

Foto: AFP

O Brasil vai receber neste domingo (21) o primeiro lote de vacinas contra a covid-19 do consórcio Covax Facility. Serão 1.022.400 doses da Oxford/AstraZeneca previstas para desembarcar às 18h, no aeroporto de Guarulhos (SP), vindas da Coreia do Sul.

A Covax Facility é uma aliança internacional da OMS (Organização Mundial da Saúde) para  acelerar o desenvolvimento de vacinas contra a covid-19 e garantir acesso à imunização em países em desenvolvimento.

Segundo a OMS, entre as doses que chegam neste domingo, 90% têm vencimento em 31 de maio de 2021 e as demais 10%, em 30 de abril de 2021. Mais 1,9 milhão de doses devem chegar ao país até o final de março.

Neste fim de semana, o Ministério da Saúde começou a distribuição de mais de 5 milhões de doses, sendo 1.051.750 da primeira remessa de vacinas da Oxford/AstraZeneca, produzida no Brasil pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Outras 3,9 milhões são referentes a mais um lote da vacina produzida pelo Instituto Butantan.

Desde 18 de janeiro, quando começou a campanha de vacinação contra a covid-19 no país, foram enviadas a todos os estados e DF mais de 25 milhões de doses – mais de 13 milhões já foram aplicadas em grupos prioritários.

Para o mês de março, o cronograma enviado à pasta pelos laboratórios, sujeito a alterações de acordo com a produção das vacinas, prevê a entrega de um total de 30 milhões de doses: 23,3 milhões do Instituto Butantan, enviados em remessas semanais e distribuídas na mesma periodicidade; 3,8 milhões da vacina da AstraZeneca/Oxford, produzida na Fiocruz; e mais 2,9 milhões de doses do mesmo imunizante adquirido via consórcio Covax Facility.

Negociação de preços

O consórcio Covax Facility é uma plataforma colaborativa, subsidiada pelos países-membros, que também visa possibilitar a negociação de preços dos imunizantes. De acordo com o comunicado do consórcio, a projeção é que sejam enviadas 330 milhões de doses das vacinas da Pfizer/BioNTech e Oxford/AstraZeneca na primeira metade de 2021 para 145 países integrantes da aliança, que reúne mais de 150 nações.

Em fevereiro, a A Diretoria Colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decidiu por unanimidade dispensar de registro ou autorização de uso emergencial vacinas contra covid-19 que o Brasil receberá por meio do consórcio Covax Facility.

A diretora Meiruze Freitas afirmou que é “oportuno e atual o momento para aprimoramento de alguns procedimentos e diretrizes da regularidade sanitária, de forma a pavimentar o caminho para promovermos uma apropriada e célere disponibilização das vacinas objeto do acordo Covax Facility por todo o território nacional”.