Pandemia no Brasil: declarações que matam!

Foto: Reprodução

O presidente Messias Bolsonaro voltou a atacar a China nessa quarta-feira, 5 de maio, sugerindo que o coronavírus tenha sido criado em laboratório e que o país asiático teria tido ganhos econômicos com a pandemia. Nem entro no mérito da questão, se a teoria da conspiração defendida por Bolsonaro tem algum fundo de verdade ou não. A pergunta que faço é: essa declaração feita pelo presidente do Brasil interessa pra quê e pra quem nesse momento em que já temos mais de 410 mil mortos no país e nossa única saída é a vacinação em massa da população, como está sendo feito em outros países.

Então, diante de um plano de imunização dos brasileiros que até agora tem a presença maciça da vacina chinesa, a Coronavac, o que ganhamos atacando à China? Pelo visto apenas perdemos, já que os insumos para produção de vacinas vêm da china e , sem a produção de vacinas, a imunização fica parada como já acontece em pelo menos 10 estados. Concluindo perdemos insumos, perdemos vacinas e perdemos vidas.

E isso quem diz não sou euzinha, mas o próprio Instituto Butantan ao concluir que as declarações do presidente afetam a liberação de insumos pelas autoridades daquele país.

Mas não é de hoje que as declarações do presidente Messias Bolsonaro vêm causando mortes no Brasil. O presidente do Brasil tem sido o principal aliado do coronavírus. Ele já conspirou para que a população não respeitasse as medidas sanitárias de prevenção ao coronavírus, já boicotou os decretos de combate à pandemia de governadores e prefeitos, já obrigou ao uso de remédios sem comprovação e que provocam efeitos colaterais como arritmia cardíaca, já fez campanha contra a vacinação e agora boicota até mesmo a compra de vacina.

E junto com o coronavírus, as declarações de Bolsonaro continuam matando no Brasil, sem que ninguém consiga fazer ele calar a boca.