Pane faz pessoas abandonarem voo às pressas e deixa feridos: ‘Desesperador’

Ao menos cinco passageiros ficaram feridos durante uma pane em um avião da Azul, no momento da decolagem no aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá (MT), na madrugada de hoje. Na aeronave estavam 132 pessoas e todas tiveram que deixar o avião às pressas pelas saídas de emergência.

O supervisor de vendas Wenderson da Silva Campos, de 26 anos, estava no avião com o filho de 4 anos e a esposa. Ele relata que a aeronave já estava na pista em processo de decolagem, quando o piloto identificou uma falha. Minutos depois uma comissária de bordo teria gritado para que todos deixassem a aeronave com urgência.

Aparentemente estava tudo bem, o avião estava na pista e começou a pegar a velocidade para decolar. Um minuto antes dele sair do chão, sentimos uma freada brusca e em seguida ele foi freando até parar. A gente começou a olhar um para o outro sem entender o que estava acontecendo. Nisso veio uma aeromoça e começou a gritar para que todos descessem pela saída de emergência. Foi muito desesperador.

Na sequência, as portas de saída de emergência foram abertas e os passageiros tiveram que descer pelos escorregadores infláveis.

“Todo mundo começou a se empurrar na tentativa de sair primeiro, eu estava com meu filho nos braços e cheguei a cair em um banco. Quando estava saindo era possível ouvir as pessoas gritando que o avião ia explodir. Coloquei meu filho no chão, em um local próximo, e voltei para ajudar a minha esposa”, afirmou o supervisor de vendas.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram os momentos de desespero dos passageiros. É possível ouvir crianças e adultos gritando enquanto tentam deixar a aeronave. Segundo eles, ao menos cinco pessoas tiveram ferimentos ao desceram pelo escorregador inflável. Uma mulher quebrou a perna.

“A turbina estava liga e quando as pessoas desciam pelo escorregador eram arremessadas com a força do vento. E foi isso que aconteceu comigo. Fui arremessada e cai com os joelhos no chão. Na hora ficou bastante inchado e precisei passar por atendimento médico”, relata a vendedora Natalya do Nascimento Campos, de 24 anos.

Ainda segundo os passageiros, logo após todos desceram uma fumaça preta foi vista em uma das turbinas da aeronave.

Foi desesperador porque não sabíamos ao certo o que estava acontecendo. Foi aquela correria e todos estavam com muito medo de ter uma explosão. Natalya.

Após o incidente, os passageiros contam que funcionários da empresa aérea os levaram para o saguão do aeroporto onde foi realizado o atendimento médico. Equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) fizeram os primeiros socorros e encaminharam os passageiros para hospitais da cidade.

O voo tinha como destino o aeroporto de Guarulhos, sem escalas e com duração aproximada de duas horas, sendo cancelado após a pane.

Em nota, a empresa de transporte aérea Azul informou que a aeronave teve a decolagem abortada após a identificação de uma pane.

“A Azul informa que a aeronave que realizaria o voo AD2751 (Cuiabá-Guarulhos) teve sua decolagem abortada após a identificação de uma pane na aeronave, tendo o comandante do voo realizado o procedimento padrão previsto para esse tipo de situação. Os clientes evacuaram a aeronave por meio das saídas de emergência do avião. A Azul destaca que está prestando todo o apoio necessário aos Clientes, lamenta o ocorrido e reforça que ações como essa são necessárias para garantir a segurança de suas operações”.

Primeira vez em um avião

Wenderson e Natalya fariam a primeira viagem da família de avião, junto ao filho de 4 anos. Eles tinham como destino São Paulo, onde fariam conexão para Porto de Galinhas (PE).

Família viajaria pela 1ª vez de avião Imagem: Arquivo Pessoal.

Iríamos para a praia pela primeira vez. Foi bem assustador e confesso que dá medo de entrar em um avião novamente. Hoje, quando meu filho acordou depois de tudo o que passamos, a primeira coisa que ele disse é que não quer mais ir para a praia porque o avião ia cair.Wenderson.

Apesar do susto, a família conta que ainda pretendem aproveitar as férias no Nordeste e está tentando fazer o reagendamento da viagem.

“Passado o susto, estamos tentando resolver as questões burocráticas da viagem que não foi feita. As passagens já conseguimos remarcar, mas falta negociar com o hotel. O importante é que estamos bem”, diz o supervisor de vendas.