Paraná e Rússia firmam parceria sobre vacina para coronavírus

O governo do Paraná assinou hoje um memorando de entendimento com a Rússia voltado ao acompanhamento de informações relacionadas a vacina Sputnik V, a primeira registrada contra o novo coronavírus no mundo.

De acordo com o governo paranaense, o memorando é uma espécie de “protocolo de intenções” para que a vacina eventualmente seja testada no Estado e, quem sabe, produzida também. Para isso, ela precisará de aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Foi decidido que um grupo de trabalho será formado para que membros do governo paranaense tenha acesso a dados sobre a vacina. Caso a eficácia dela seja realmente comprovada, ela poderia vir a ser oferecida à população paranaense.

A parceria entre Paraná e Rússia a respeito da vacina já havia sido anunciada ontem. Uma reunião virtual entre o governador Ratinho Júnior e o embaixador russo Sergey Akopov realizada nesta tarde oficializou o acordo.

A vacina russa foi aprovada menos de dois meses após o início dos testes em humanos, o que levou pesquisadores a questionarem se a Rússia não está colocando o prestígio nacional à frente da ciência.

A aprovação pelo Ministério da Saúde russo veio antes do início dos testes clínicos em Fase 3 com milhares de voluntários — a etapa considerada normalmente como essencial para o registro de uma vacina.