PC abre inquérito para apurar morte de idosa que recebeu nebulização com hidroxicloroquina em Itacoatiara

imagem ilustrativa

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) abriu uma investigação para apurar a morte de uma idosa de 71 anos, que recebeu nebulização com hidroxicloroquina em um hospital de Itacoatiara (distante 270 km de Manaus). A família alega não autorizou a nebulização e sequer sabia que a paciente tinha recebido a medicação. A idosa não resistiu as complicações decorrentes da Covid-19 e acabou morrendo após ser transferida para Manaus.

O medicamento hidroxicloroquina é utilizado no tratamento da artrite reumatoide, lúpus eritematoso, afeções dermatológicas e reumáticas e malária. O remédio não é recomendado para tratamento de pessoas com Covid-19 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Brasileira de Enfermagem em Terapia Intensiva (Abenti), Associação Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) e Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

O uso da hidroxicloroquina foi proibido em diversos países, após estudos científicos constatarem que, além de não ser adequado para o tratamento de Covid-19, a sua utilização acelerou o processo de inflamação e resultou na morte de pacientes.

O delegado Lázaro Ramos informou que solicitou o prontuário médico da paciente ao hospital do município para checar as informações e deverá ouvir, nos próximos dias, os profissionais de saúde que estiveram à frente do caso.

O delegado disse que a filha da vítima explicou à polícia que, ainda na cidade, a mãe foi submetida à nebulização com o medicamento e que o tratamento não foi consentido pela família.

A idosa deu entrada no Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara, no dia 6 de fevereiro. De acordo com a filha dela, que preferiu não se identificar, a mãe apresentou sintomas da Covid-19 e, até então, o estado de saúde dela não parecia tão grave. A filha  revelou ainda, que só descobriu que a idosa recebeu o medicamento após pedir o prontuário médico.

Em nota, a Polícia informou que a filha compareceu à delegacia do município na sexta-feira (23) para comunicar a morte da mãe ocorrida no dia 13 de março no Hospital Pronto-Socorro Delphina Aziz, em Manaus.