RJ não recebeu pedido de oxigênio do governo do Amazonas porque foi enviado para e-mail errado

 

O Governo do Amazonas fez um pedido a todos os estados para tentar evitar o colapso no sistema de Saúde, no entanto, no e-mail enviado há cinco dias com o pedido, estava com todos os destinatários errados.

O documento cita uma “crise sem precedentes” na Saúde em meio à pandemia de Covid-19, com ocupação total de leitos. Assinado pelo governador Wilson Lima (PSC), o texto fala também na “iminência” de desabastecimento de oxigênio. E pedia o envio do produto, se possível.

O e-mail foi enviado por Juarez Filho, assessor do Subcomando de Ações de Defesa Civil do Amazonas, para três destinatários no RJ:

  • Francisco Dornelles, ex-vice-governador, atualmente sem cargo;
  • Dorita, ex-chefe de gabinete de Dornelles, também sem cargo;
  • E-mail de eventos da Vice-Governadoria do RJ.

Os dois primeiros remetentes sequer estão no governo. Dorita, a Maria Auxiliadora Pereira Carneiro Silva, deixou o governo em dezembro de 2018. Dornelles, poucos dias depois, após a vitória de Wilson Witzel (PSC) na eleição.

Já o último e-mail é do setor responsável por organizar os eventos do vice-governador, cargo que está vago desde que Cláudio Castro (PSC) substituiu Wilson Witzel (PSC) como governador. Witzel foi afastado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) por denúncias de corrupção na Saúde em meio à pandemia.

Segundo informações só chegou ao governador em exercício do Rio, Cláudio Castro (PSC), na noite de quinta-feira (14), quando ele ligou para Wilson Lima. Castro informou que a Secretaria Estadual de Saúde (SES) vai fazer um levantamento dos insumos que podem ajudar o Amazonas.

Na segunda-feira (11), um dia depois do envio do e-mail, o cerimonial da vice-governadoria enviou o e-mail para o gabinete do governador, ressaltando o pedido de urgência.

Na manhã desta sexta-feira (15), Castro prestou solidariedade a Wilson Lima em uma rede social.

“A situação do Amazonas é desesperadora e sensibiliza a todos nós. Liguei ontem (quinta) para o governador Wilson Lima para prestar todo meu apoio e dialogar como o RJ pode colaborar. O momento é de união. A dor dessa pandemia atinge a todos nós e os estados precisam caminhar juntos”

Colapso na saúde 

O sistema público de saúde de Manaus colapsou e para desafogar as unidades de saúde e continuar salvando vidas, os paciente começaram a ser transferidos de Manaus para outros estados brasileiros. Ao todo 235 pacientes devem deixar a capital em voos da FAB.