Pela primeira vez, Casa Branca apaga luzes em receio a protestos, enquanto Trump é levado para bunker

Foto: Reprodução

A onda nacional de protestos contra a morte de George Floyd, em Minnesota, caiu no centro de Washington, DC, no domingo, com confrontos entre manifestantes e a polícia, muitas vezes se transformando em brigas de rua.

O prefeito de Washington colocou a cidade inteira sob um toque de recolher estrito a partir das 11h, um passo sem precedentes que não impediu grupos de manifestantes de irem para as ruas e continuam a entrar em conflito com a polícia depois da meia-noite.

Na tarde de domingo, as coisas pareciam muito diferentes na área em torno da Casa Branca. Na noite anterior, as ruas que cercavam o complexo presidencial foram o epicentro de uma violenta explosão de saques e vandalismo, mas nada disso pôde ser visto no final da tarde, quando mais de mil pessoas se reuniram na Praça Lafayette, do outro lado da rua. 1600 Pennsylvania Avenue.(…)

Pouco antes da meia-noite, as luzes que geralmente iluminam a Casa Branca durante a noite, tornando o edifício visível a quilômetros de distância, foram apagadas. O motivo disso foi uma decisão de segurança do Serviço Secreto, mas também havia um valor simbólico: Washington estava entrando em outra noite escura e a Casa Branca também.