Pepsi confirma retirada da fábrica do Polo Industrial de Manaus

Após 20 anos de funcionamento no Polo Industrial de Manaus (PIM), a Pepsi-Cola Industrial da Amazônia Ltda confirmou, nessa segunda-feira (3), que está fechando as portas da empresa. A informação do encerramento das atividades no Amazonas foi feita por meio de nota enviada pela empresa ao Radar. Com isso, os 51 colaboradores da fábrica foram automaticamente desligados do quadro de funcionários.

Segundo o texto, a multinacional afirma que a decisão de fechar a unidade de fabricação de concentrados em Manaus foi tomada com o objetivo de “administrar eficientemente operações em todo o Brasil e posicionar a empresa para um crescimento de longo prazo. Esta decisão não afeta outras operações da PepsiCo no país.”

Ainda de acordo com a nota, a empresa reconhece os impactos da decisão e garante que os funcionários demitidos devem receber “um pacote de indenização competitivo, além do suporte a recolocação”.

No entanto, a empresa não esclareceu o motivo do fechamento na nota, mas a especulação é de que seja reflexo do decreto assinado pelo presidente  Temer em maio deste ano, onde reduz drasticamente o crédito do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) dos chamados “concentrados” para refrigerantes. O crédito era de 20% e passou para 4%.

Procurada pelo Radar, a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) lamentou a saída da unidade e disse que a decisão foi eminentemente da empresa. Mas afirmou que “a autarquia está de portas abertas para receber as demandas e envidar todos os esforços possíveis para que essa decisão possa ser revertida.”

Confira o posicionamento da PepsiCo na íntegra

Tomamos a difícil decisão de fechar nossa unidade de fabricação de concentrados em Manaus (AM), com o objetivo de administrar eficientemente nossas operações em todo o Brasil e posicionar a empresa para um crescimento de longo prazo. Esta decisão não afeta outras operações da PepsiCo no país.

Reconhecemos os impactos pessoais de decisões como esta. Estamos comprometidos a tratar nossos funcionários afetados com dignidade, respeito e apoio, e estamos oferecendo um pacote de indenização competitivo, além do suporte a recolocação.

A PepsiCo está presente no Brasil há 65 anos, e nesse período desenvolvemos uma estreita parceria com os clientes, demonstramos respeito aos consumidores, traçamos uma trajetória de sucesso com nossos funcionários e investimos nas comunidades onde atuamos. Continuaremos comprometidos com o Brasil, assim como estivemos durante nossa longa presença no país.

PepsiCo do Brasil

Confira o posicionamento da Suframa na íntegra

A Suframa lamenta a decisão da fabricante de encerrar suas atividades no Polo Industrial de Manaus (PIM). A mesma tem papel relevante no setor de concentrados do PIM, o qual é bastante expressivo e representativo para a região, com geração de dezenas de milhares de empregos todos os anos. A autarquia tem feito todo o possível dentro de sua competência para que situações como essa não ocorram e continuará trabalhando desta forma na próxima composição do governo federal.

Reiteramos que esta é uma decisão eminentemente da empresa, sobre a qual a Suframa não tem qualquer ingerência, mas a autarquia está de portas abertas para receber as demandas e envidar todos os esforços possíveis para que essa decisão possa ser revertida.