Perfil nas redes sociais ameaça cometer massacre na escola Tiradentes, em Manaus

O possível responsável por ameaçar um massacre na escola teria sido vítima de bullying

escola-massacre

Foto: Michell Mello/Secom

Circula nas redes sociais que a escola estadual Tiradentes, localizada na avenida Codajás, bairro Petrópolis, zona Sul de Manaus, está sendo ameaçada de um possível atentado. O ataque criminoso estaria marcado para acontecer na próxima quarta-feira (15).

Uma pessoa até o momento não identificada, responsável por administrar um perfil no Instagram denominado como “massacre9584”, está fazendo as ameaçadas contra a escola. As publicações na rede social apontam que a motivação do ataque seria porque uma pessoa foi vítima de bullying.

“Vai ser cabeça e sangue para todo lado […] Vão levando na brincadeira, assim fica mais fácil para mim. E.E. Tiradentes, me aguarde”, diz a mensagem publicada nos stories da rede social.

Foto: Reprodução/Instagram

Na biografia do Instagram, o responsável pelas ameaças disse vai entrar e matar “um por um” quem praticou bullying, dando ser um ex-aluno da respectiva unidade de ensino.

O Radar Amazônico entrou em contato com a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) solicitando um posicionamento a respeito das ameaças que circulam na internet. Em nota, a corporação informou que “a Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Cibernéticos (Dercc) reforça que está atenta e realiza investigações de ameaças feitas por meio cibernético, sobretudo, aquelas relacionadas a ataques em escolas, órgãos públicos e similares”.

Entretanto, a PC-AM disse que não pode fornecer mais informações para não comprometer as investigações. Além disso, a polícia reforça que os crimes divulgados por meio das redes sociais, principalmente os relacionados a ataques, os veículos de comunicação ou qualquer cidadão podem registrar o Boletim de Ocorrência (BO) na sede da Dercc, que fica localizada nas dependências da Delegacia Geral (DG), na avenida Pedro Teixeira, 180, bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste de Manaus, ou na Delegacia Virtual (Devir).

Histórico

Casos de ameaças contra escolas têm sido registrados com frequência durante a história recente do Amazonas. O Radar Amazônico noticiou em 2019 que um adolescente foi apreendido após ameaçar cometer um atentado no Instituto de Educação do Amazonas (IEA), localizada na avenida Ramos Ferreira, bairro Centro, zona Sul de Manaus.

Segundo a polícia, o jovem pretendia cometer o ataque da mesma forma que aconteceu em uma escola de Suzano, no interior de São Paulo, onde dois atiradores deixaram dez mortos.

Em agosto deste ano, um adolescente de 14 anos que planejava realizar um massacre em uma escola pública no bairro Glória, zona Sul de Manaus, foi apreendido pelos policiais da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Na época, de acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, as investigações iniciaram após as equipes receberem um monitoramento do Laboratório de Operações Cibernéticas (Cyber-Lab), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), com conversas sobre violência e atos de terrorismo, entre o adolescente amazonense e outros dois, que moram nos estados do Rio Grande do Norte e Goiás.