Pescadores são detidos pela PF suspeitos de envolvimento no desaparecimento de indigenista e jornalista inglês no AM

Os pescadores foram conduzidos ao município de Atalaia do Norte para prestarem esclarecimentos sobre o caso

pescadores pf

Foto: Reprodução

Dois pescadores identificados apenas como “Churrasco” e “Jâneo” foram detidos pela Polícia Federal (PF) nessa segunda-feira (6), suspeitos de estarem envolvidos no desaparecimento do indigenista Bruno Araújo Pereira, da Fundação Nacional do Índio (Funai), e do jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, que desapareceram durante o trajeto da comunidade ribeirinha São Rafael até o município de Atalaia do Norte (a 1.136 quilômetros de Manaus), região do Vale do Javari.

Em nota, a PF informou que os pescadores foram localizados durante ação da Marinha do Brasil na calha do Rio Itaquaí, na região noroeste do Amazonas, mas nenhum deles foi preso. As buscas pelo indigenista e o jornalista inglês foram retomadas nesta terça-feira (7).

“Das diligências efetuadas foi possível identificar duas pessoas que tiveram contato com os desaparecidos, as quais foram encaminhadas à Polícia Civil de Atalaia do Norte para prestar esclarecimentos. Porém, nenhuma delas foi presa”, disse a Polícia Federal sobre os pescadores.

Segundo as informações obtidas pela PF, “Churrasco” já havia sido citado em declarações que apontaram que ele teria uma reunião agendada com Bruno Pereira para consolidar trabalhos conjuntos entre ribeirinhos e indígenas na região. A Univaja (União dos Povos Indígenas do Vale do Javari) informou que o indigenista da Funai vinha sofrendo ameaças.

Diante do caso, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou um procedimento administrativo para investigar o desaparecimento do indigenista e do jornalista inglês, além de acionar a Polícia Federal, Força Nacional, a Frente de Proteção Etnoambiental Vale do Javari e a Marinha do Brasil para trabalhar em torno das buscas de Bruno Araújo Pereira e Dom Phillips.

“O MPF seguirá intermediando as ações de buscas e mobilizando as forças pra assegurar a atuação integrada e articulada das autoridades, visando solucionar o caso o mais rápido possível […] A investigação sob as ameaças está sob sigilo, o que impede a divulgação de outras informações sobre o caso no momento”, declarou o MPF.

Importante ressaltar que a Terra indígena Vale do Javari é frequentemente alvo de invasões de garimpeiros ilegais.

Confira a nota da Polícia Federal na íntegra

“A Polícia Federal informa que desde que tomou conhecimento do desaparecimento do indigenista Bruno Araújo Pereira, da Fundação Nacional do Índio (Funai), e do jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, vem realizando medidas investigativas e de inteligência policial visando o esclarecimento dos fatos e a resolução do caso.

Na data de ontem, 06/06/2022, com o apoio da Marinha, foram realizadas incursões na calha do Rio Itaquaí, mais precisamente no trecho compreendido entre a frente de proteção etnoambiental itui-itauqai e o município de Atalaia do Norte/AM, região noroeste do Amazonas.

Das diligências efetuadas foi possível identificar 02 (duas) pessoas que tiveram contato com os desaparecidos, as quais foram encaminhadas à Polícia Civil de Atalaia do Norte para prestar esclarecimentos. Porém, nenhuma delas foi presa.

No início da manhã de hoje, 07/06/2022, as buscas foram retomadas pela Marinha e a Polícia Federal, com novas incursões no rio e com o apoio de helicóptero sobrevoando a região.

Com a evolução do caso novas informações serão divulgadas.”