Pesquisa FGV aponta o Amazonas como 2º estado do país com maior índice de pobreza

O índice de pobreza do Amazonas foi de 51%, contra 30% da média nacional

Foto: Arlesson Sicsú

O “Mapa da Nova Pobreza”, elaborado pela FGV Social (Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas), revelou que o Amazonas é, atualmente, o segundo estado com o maior índice de pobreza no Brasil. A média do estado ficou em 51%, contra 30% da média nacional.

O estado ficou à frente apenas do Maranhão, que teve 57,9% no índice. Na ponta oposta, o estado com a menor taxa de pobreza foi Santa Catarina, com 10,16% da população vivendo em situação de pobreza no estado.

De acordo com a pesquisa, o número de pessoas com renda domiciliar per capita de até R$497 por mês atingiu 62,9 milhões de brasileiros, afetando cerca de 29,6% da população brasileira. Ainda de acordo com o estudo, atualmente existem 9,6 milhões de pobres a mais do que no período de antes da pandemia. O número de pessoas pobres no Brasil é relativo a quase toda a população de Portugal.

De acordo com a FGV Social, a pobreza nunca esteve tão em alta no Brasil. Eles realizaram ainda um indicativo sobre os fluxos de pobreza no território brasileiro. O levantamento estudou ainda a evolução da pobreza durante os anos de pandemia de Covid no Brasil, com base nos dados da Pnad Contínua anual (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Vale lembrar que em 2021, uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que no Amazonas, 505,3 mil pessoas ou 12,5% da população estavam em situação de extrema pobreza em 2020, ou seja, com menos de R$ 155 por mês, e mais de 1,79 milhão ou 44,5% viviam em situação de pobreza, com menos de R$450 por mês.