Pesquisa que aponta vitória de Wilson Lima muda rumos da campanha para o Governo

A pesquisa realizada pelo Instituto Pontual e divulgada no último domingo (14) que aponta, caso a eleição fosse no final de semana passado, uma vitória folgada do jornalista Wilson Lima (PSC) com 71,92% dos votos válidos contra apenas 28,08% recebidos pelo governador e candidato à reeleição, Amazonino Mendes (PDT) mudou os rumos da campanha.

Faltando 13 dias para o segundo turno da disputa, a ser realizado no domingo (28), Amazonino passou a apostar em um tom de discurso mais agressivo, com ataques a falta de experiência administrativa de Wilson Lima e enaltecendo suas ações nas várias vezes em governou.

As alterações não se deram só nas propagandas e discursos. As estratégias de campanha também foram alteradas: Amazonino busca capilaridade em Manaus com ações especificamente nas zonas Norte e Leste – até então reduto dos atos de campanha de Wilson Lima – e nos municípios de Parintins e Careiro da Várzea, onde perdeu a disputa no primeiro turno.

Na ilha tupinambarana, Wilson Lima recebeu 16.253 votos válidos contra 11.942 recebidos por Amazonino Mendes. Em Careiro da Várzea, Wilson teve 4.376 contra 3.397 votos de Amazonino.

Em Parintins, por exemplo, as ações da campanha de Amazonino passaram a ser coordenadas por seu médico particular, ex-secretário de Saúde e ‘braço direito’, Francisco Deodato. No primeiro turno, a campanha no município estava sob responsabilidade do prefeito Bi Garcia (PSDB). O município foi o primeiro visitado por Amazonino após a derrota no primeiro turno.

Em Manaus, a orientação aos secretários de Estado, especificamente em áreas como Saúde – ainda com a influência direta de Francisco Deodato -, Segurança e Educação, as duas últimas pastas com mudanças de secretário após o primeiro turno da disputa, é que as ações sejam enaltecidas e que se faça um contraponto entre os atos da gestão de Amazonino e dos ex-governadores do Amazonas. As ações das três pastas são diariamente enaltecidas nas propagandas eleitorais do governador.

Amazonino também mudou a postura na disputa pelo segundo turno. Passou a ir aos debates e entrevistas – prova disto é que foi no debate realizado nesta segunda-feira (15) em uma emissora de rádio local – e passou a tentar vincular a imagem de Wilson Lima ao ex-governador cassado José Melo, apelando para o discurso de que Melo não tinha experiência em cargos majoritários quando assumiu o Estado e nem Wilson Lima tem.

Durante o debate, Amazonino tentou essa estratégia, dando a entender que a gestão de Wilson Lima poderia vir a ser “trágica” para o Amazonas como foi a de José Melo, mas levou um baita dum “passa fora” de Wilson Lima, que lembrou que Melo veio a se candidatar para cargos eletivos apoiado por Amazonino. a quem chamava de seu “pai político”.

Wilson Lima tem intensificado as caminhadas e ações em Manaus e no interior do Estado e disse que fará uma “ginástica” para atingir o maior número possível de pessoas até o dia 28. “Vou continuar trabalhando como trabalhei no primeiro turno, tocando uma campanha com diálogo, participação, conversando e ouvindo as pessoas. Estamos fazendo uma ginástica para poder chegar a maior quantidade de pessoas possível”, disse Lima.

Amazonino disse que “continuará trabalhando naturalmente” e que “multiplicará o tempo” para fazer campanha. “Vou trabalhar naturalmente. Tenho uma dificuldade porque eu sou candidato e governo ao mesmo tempo então tenho carência de tempo. Tenho que multiplicar o meu tempo e isso que irei fazer”, disse Amazonino, nesta segunda-feira (15), no fim do debate realizado por uma emissora de rádio.