Pessoas acolhidas na Arena Amadeu Teixeira denunciam falta de água e alimentação (Ver vídeo)

blank

Foto: Equipe Radar Amazônico

Na manhã desta segunda-feira (3), um grupo de pessoas acolhidas no abrigo localizado na Arena Amadeu Teixeira, Constantino Nery, zona Centro-Sul de Manaus, denunciou à equipe do Radar Amazônico que os serviços oferecidos como água e alimentação foram cortados aos poucos e que nem alimentos estavam recebendo.

“Semana passadas falaram que iam cortar tudo aos poucos, que o bebedouro ia ser levado, banheiro químico, e alimentação já está sendo cortada” diz Daniel Oliveira de Souza, acolhido no abrigo e que procurou o Radar sobre os cortes.

“Não quero nada de graça, me coloque no mercado de trabalho para que eu não volte à rua, porque não tenho onde morar e nem perspectiva de trabalho por enquanto” aclama Daniel.

Durante a quarentena, o abrigo serviu de brigo para as pessoas em vulnerabilidade social. Há alguns dias atrás, a Justiça Federal, que atendeu pedidos do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Defensoria Pública da União (DPU) determinou que Estado e Município garantisse abrigo à população de rua acolhida.

Conforme o MPF, o Governo do Estado sustentou a necessidade de desocupação dos abrigos provisórios em 15 de julho, para realização de reformas e de medidas de segurança e higiene para a retomada do período letivo.

A equipe do Radar esteve no local, confira: 

Pessoas acolhidas na arena Amadeu Teixeira denunciam falta de água e alimentação: Governo pretende desativar abrigo

Pessoas acolhidas na arena Amadeu Teixeira denunciam falta de água e alimentação: Governo pretende desativar abrigo

Posted by Radar Amazônico on Monday, August 3, 2020