Pfizer/BioNTech anunciam que vacina contra a Ômicron vai atrasar

Farmacêuticas afirma que o processo de coleta de dados foi mais devagar que o esperado, e irão avaliar necessidade da fórmula

Profissional de saúde prepara dose da vacina da Pfizer — Foto: Pedro Nunes/Reuters

A Pfizer/BioNTech anunciou, nesta quinta (17), que a vacina específica contra a variante Ômicron do coronavírus vai atrasar — a expectativa inicial era que a fórmula poderia começar a ser aplicada em março. Segundo a empresa, o processo de coleta de dados foi mais lento do que o esperado e, por isso, a entrega foi adiada.

O presidente-executivo da BioNTech, Ugur Sahin, explica que, quando o imunizante estiver pronto, a farmacêutica irá avaliar se ele ainda será necessário, uma vez que a onda causada pela variante já começa a passar em vários países.

“Se a onda terminar, isso não significa que não possa começar de novo”, afirmou Sahin, em entrevista ao jornal alemão Bild. Ele reafirmou que a situação não é mais “tão dramática”, e que a empresa pode desenvolver novas vacinas para novas variantes, caso seja necessário.