Piratas dos rios: suspeitos de matarem a britânica Emma Kelty são presos em Manaus

A esportista britânica Emma Kelty estava fazendo canoagem no Rio Solimões quando foi abordada e morta pelos bandidos

britânica manaus

Foto: Divulgação

Os irmãos Erimar Ferreira da Silva, 31, e Erinei Ferreira da Silva, 32, apontados como suspeitos de participarem na morte da canoísta britânica Emma Kelty, no ano de 2017, foram presos nessa quarta-feira (1°) durante operação policial em Manaus. A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou em comunicado oficial que Erimar foi localizado no bairro São Jorge, na zona oeste da capital, enquanto isso, Erinei estava no conjunto Viver Melhor, bairro Lago Azul, zona Norte de Manaus.

De acordo com o tenente Jefferson Martins que os irmãos foram encontrados após denúncias anônimas feitas ao disque 181. Além da morte da britânica, eles são investigados pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e atuação como “piratas de rio”.

Os irmãos foram conduzidos ao 19° Distrito Integrado de Polícia (DIP) e vão ficar à disposição da Justiça com o término dos procedimentos cabíveis na unidade policial.

Relembre o caso 

A britânica foi morta em setembro de 2017 e teve repercussão internacional. Na época, o Radar Amazônico noticiou que um adolescente de 17 anos, apreendido em Coari, distante a 362 quilômetros de Manaus, deu detalhes sobre a morte da britânica.

Segundo ele, Emma Kelty estava acampando na Ilha do Boieiro, localizada em frente à Comunidade Lauro Sodré, no município de Coari, quando foi abordada por dois homens, que eram “piratas de rio”. Logo em seguida, outros cinco indivíduos chegaram ao local, entre eles, um adolescente. Na ocasião, a canoísta teve dinheiro e pertences roubados pelo grupo. Ela chegou a ser atingida por dois tiros de espingarda calibre 20, com o cano serrado, e o corpo dela foi jogado no Rio Solimões.

O grupo tentou vender os objetos roubados das vítimas, dentre eles dois aparelhos celulares, um tablet e uma câmera GoPro, em comunidades dos municípios de Codajás e Coari. O Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) e a Marinha do Brasil realizaram buscas para encontrar o corpo da britânica, mas o corpo da vítima não foi encontrado até hoje.

Últimos dias

Meses antes de sua morte, Emma Kelty publicava vídeos no YouTube os preparativos para viajar na região amazônica. Uma publicação feita no dia 4 de setembro de 2017 mostra a britânica treinando movimentos de defesa pessoal.

O segundo vídeo publicado no dia 10 de março mostra Emma se preparando para possíveis imprevistos durante a viagem pelo rio.

O vídeo foi gravado em uma piscina que simula a água corrente.Apaixonada por esporte e natureza, Emma Elty chamou a expedição de ‘O Rio Amazonas, uma fonte para o mar’. O crime teve repercussão internacional tendo sido amplamente noticiado pela imprensa estrangeira.