PL da prefeitura de Manaus que pode acabar com a função do cobrador gera revolta nos trabalhadores do transporte público (ver vídeo)

O projeto também acaba com o limite de 10 anos contados a partir do ano de fabricação, para o tempo em que um ônibus pode fazer parte da frota do transporte coletivo de passageiros

Foto: Edhuarda Bessa/ Radar Amazônico

O Radar ouviu nesta terça-feira (7), os trabalhadores do transporte público de Manaus que trabalham há anos no setor, mas que agora estão com os empregos ameaçados pelo Projeto de Lei da Prefeitura de Manaus, aprovado nessa segunda-feira (06), no Legislativo municipal. Caso seja sancionada pelo prefeito David Almeida (Avante), a nova Lei determina que o motorista também pode realizar a função do cobrador.

Com 30 votos a favor e 11 contrários, o Projeto de Lei 150/2022  também acaba com o limite de 10 anos contados a partir do ano de fabricação, para o tempo em que um ônibus pode fazer parte da frota do transporte coletivo de passageiros.

A opinião dos trabalhadores

No Terminal de Integração 5 (T5), a reportagem conversou com o motorista Almir Nascimento. Ele acredita que essa alteração na Lei vai tirar a atenção do motorista no trânsito.

“Vai tirar a nossa atenção no trânsito, pode ocasionar um acidente, muitas das vezes o horário fica apertado e você tem que passar troco e a situação vai ficar muito ruim, porque acumula gente na fila pra entrar no ônibus”, disse o motorista.

No T5 a reportagem entrou no coletivo da linha 088 e conversou com a cobradora Suely Freitas que exerce a função há mais de 17 anos. Ao ser questionada sobre o novo projeto da prefeitura de Manaus, ela informou que teme perder o emprego e espera que o prefeito David Almeida (Avante) revogue a Lei.

“Isso tá sendo uma surpresa pra nós, se isso acontecer a gente espera pelo menos receber a nossa indenização direitinho. Espero que o prefeito revogue essa Lei que ele olhe por nós”, disse Suely Freitas.

A bordo do ônibus a reportagem notou que o veículo já está bastante sucateado, mas com o novo projeto o veículo agora poderá rodar até o dia que parar de funcionar.

Manifestação

Além dessas alterações, o Projeto da prefeitura de Manaus também envolve o transporte executivo. Cerca de 100 motoristas do transporte executivo realizaram uma manifestação nesta manhã, em frente à Câmara Municipal de Manaus (CMM), após a aprovação de Projeto da Prefeitura de Manaus, que une o transporte executivo ao alternativo.  O novo projeto reduz  o número atual de permissões dos veículos, saindo de 470 para 280, e reduz a frota para 190 ônibus, o que vai ocasionar mais 700 demissões, segundo os trabalhadores do setor.