Plano de Lula tem reforma trabalhista revogada e mesa com empresários

O documento é preliminar e servirá de base para programa de governo. Partidos da frente poderão oferecer sugestões para modificar o texto

Foto: divulgação

O grupo responsável pela elaboração do programa de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) construiu um documento com as diretrizes propostas para o programa de um futuro governo, caso o petista vença as eleições presidenciais em outubro deste ano. Um dos pontos fundamentais trata das relações de trabalho e propõe a revogação da reforma trabalhista feita durante o governo do ex-presidente Michel Temer.

Em substituição, a frente de apoio a Lula pretende a instalação de uma negociação tripartite: governo, empresários e trabalhadores, em um “novo sistema de negociação coletiva“.

“O trabalho estará no centro de nosso projeto de desenvolvimento. Defendemos a revogação da reforma trabalhista feita no governo Temer e a construção de uma nova legislação trabalhista, a partir da negociação tripartite, que proteja os trabalhadores, recomponha direitos, fortaleça os sindicatos sem a volta do imposto sindical, construa um novo sistema de negociação coletiva e dê especial atenção aos trabalhadores informais e de aplicativos”, aponta o documento.

A ideia chegou a ser adiantada pelo Metrópoles, no início de abril e se inspira no modelo de negociações adotado na Espanha. Diferentemente do que geralmente é feito, o eventual governo de Lula não pretende enviar para o Congresso uma proposta sem antes consensuar todos os pontos entre representantes dos trabalhadores e das empresas.