Anúncio

Plínio Valério ingressa com representação no TRE-AM contra fake news

O vereador e candidato ao Senado, Plínio Valério (PSDB), vem sendo alvo de fake news desde o início desta semana, após registrar um crescimento exponencial nas pesquisas e um favoritismo da população.

Uma remontagem de um vídeo que vem sendo divulgada pelas redes sociais na tentativa de denegrir a imagem do candidato. O vídeo original é datado de 2003, na qual Plínio Valério, vereador à época, aparece recebendo uma diferença salarial paga conforme os trâmites legais, além do conteúdo narrativo visivelmente fantasioso, levou alguns eleitores a intuirem que o dinheiro era de fonte ilegal.

Como o vídeo na época envolveu grande parte dos vereadores, vale a pena relembrar que ele foi montado pelo diretor financeiro da Câmara Municipal de Manaus, Áureo Lúcio, que se tornou um notório no descaminho do dinheiro público e ao ser descoberto resolveu envolver com a farsa da perversidade, os vereadores naquela Legislatura.

A diferença foi paga em espécie porque a Câmara vivia uma transição na escolha do banco que passaria a ter a conta corrente da Instituição, o que inclui o pagamento de funcionários ativos e inativo, a verba de gabinete e os vereadores. O outro momento de pagamento em espécie foi na gestão do presidente Messias Sampaio, mas ao invés de usar a trama de Áureo Lúcio em sala fechada, colocou o dinheiro no Plenário, na mesa das reuniões e chamou um a um os credores, pagando-os abertamente.

O mesmo vídeo já foi utilizado anteriormente na história política amazonense para tentar desqualificar a eleição de um vereador local. Na época, o então candidato à Mesa Diretora da Câmara Municipal de Manaus provou na Justiça que o vídeo era uma farsa.

A divulgação da remontagem do vídeo na tentativa de macular a candidatura de Plínio Valério virou uma ação na Justiça Eleitoral. O candidato ingressou com uma representação junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) pedindo que o tribunal determine ao Facebook e ao WhatsApp a retirada do vídeo.

Os pedidos já tem parecer favorável da Procuradoria Regional Eleitoral e aguardam análise pelo TRE-AM.

Veja as ações na íntegra.

Pedido referente ao conteúdo veiculado no WhatsApp

Pedido referente ao conteúdo veiculado no Facebook