Polícia apreende armamento pesado e 200 quilos de cocaína em condomínio de luxo

unnamed (3)

Em menos de 24 horas após denúncia para o Disque 181, a Secretaria-Adjunta de Inteligência (Seai), com o apoio do grupo Fera (Força Especial de Resgate e Assalto), da Polícia Civil, prendeu na noite de ontem (11) uma quadrilha de quatro traficantes ligados ao presidiário José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, com cerca de 200 quilos de cocaína.

Com a quadrilha foram apreendidas ainda uma espingarda calibre 12, uma submetralhadora 9mm e quatro pistolas PT 40, de uso restrito das forças policiais. Também foram encontrados 160 cartuchos de calibres 12, 380, .40, 556 e 45, além de R$ 25 mil em espécie, dois veículos (Celta e Uno) e material para embalar entorpecente.

unnamed (2)De acordo com o secretário-adjunto de Inteligência, Thomaz Vasconcelos Dias, que comandou a operação, a quadrilha estava em um apartamento alugado há seis meses em condomínio de luxo no bairro Santo Agostinho, na região da Ponta Negra, zona Oeste de Manaus, considerada como área nobre residencial da capital.

O secretário de Inteligência afirmou que a droga pertenceria ao traficante “Zé Roberto da Compensa”, presidiário do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, depois que foi trazido de presídio federal de segurança máxima. Mesmo preso, Zé Roberto é considerado como um dos maiores traficantes de drogas do Estado.

Um dos presos, Geomison de Lira Arantes, de 30 anos, seria “gerente” de Zé Roberto e responde criminalmente na Justiça a quatro processos por tráfico de drogas. Os outros membros da quadrilha presos pela Seai e Fera são: Bruno Vilhena Blanco, 23, Kleuton Oliveira da Silva, 22, e Fernando Rodrigues da Silva Júnior, 33.

”Recebemos a denúncia de que no apartamento, alugado há cerca de seis meses, havia alta movimentação de pessoas e que possivelmente os moradores estariam comercializando droga. No local havia também uma criança de 8 anos, filho de criação do Fernando Rodrigues, que foi entregue aos familiares”, disse Thomaz.

O secretário afirmou ainda que os 200 quilos de cocaína foram transportados da Colômbia, passando pelo município de Tabatinga, a 1.108 quilômetros de Manaus, e seria destinada para comercialização na capital.