Polícia Civil incinera 3,8 toneladas de entorpecentes

entorpecentes

A Polícia Civil do Amazonas, por meio do Departamento de Recebimento, Análise e Distribuição (DRAD), realizou na manhã desta sexta-feira (9), no Distrito Industrial 2, Zona Leste da cidade,  a incineração de 3,8 toneladas de entorpecentes, entre maconha e cocaína, que estavam armazenados em depósitos da instituição.

A droga apreendida é resultado de ações policiais durante o período de 2008 a 2012, e a incineração foi realizada a partir de determinação da Justiça. O procedimento ocorreu na empresa Amazomix, para onde os entorpecentes foram levados e queimados a uma temperatura de oitocentos a mil graus.

A incineração é um processo não poluente, pois dentro dos fornos existem filtros que impossibilitam a emissão de vapores tóxicos no meio ambiente. As cinzas dos entorpecentes serão reaproveitadas posteriormente como componentes de cimento para asfalto.

O Delegado Geral de Polícia Civil, Josué Rocha, presente no local onde o procedimento foi realizado, ressalta a ação como um ponto positivo do trabalho desempenhado pela polícia. “Uma ação como essa, onde aproximadamente quatro toneladas de entorpecentes estão sendo incineradas, mostra como o trabalho integrado das polícias Civil e Militar em combate ao tráfico tem sido incessante”, destacou.

O Secretário de Segurança Pública do Estado (SSP-AM), coronel PM Paulo Roberto Vital, que também acompanhou a incineração do material, parabenizou os policiais pelo trabalho árduo e produtivo para retirar essas drogas das ruas. “São 3,8 toneladas de entorpecentes que foram retiradas das ruas, ou seja, quantos jovens não estariam a mercê dessas substâncias que comprometeriam suas vidas. Parabenizamos os nossos policiais, pois isto é fruto de um trabalho de inteligência e investigação”, enfatizou na ocasião.

De acordo com a Diretora do DRAD, Leila Silva, também fizeram parte da ação os peritos do Instituto de Criminalística, que realizaram o teste de constatação da droga, a Delegada Titular da Delegacia Especializada em Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE), Vanessa Ricardo, integrantes do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (FERA) e policiais militares, que acompanharam o transporte do material durante escolta terrestre e área. Também estiveram presentes representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Conselho Estadual de Entorpecentes do Amazonas (Conen-AM).