Polícia Federal continua buscas por barco de indigenista e jornalista em Atalaia do Norte

Em depoimento, Amarildo teria relatado que o motor foi afundado primeiro.

Foto: Divulgação/ Exército Brasileiro

A Polícia Federal informou que continuam as buscas neste sábado (18), pelo barco do jornalista Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira, em Atalaia do Norte, no Amazonas. O local onde as buscas se concentram foi apontado por Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado. Ele confessou parte do crime.

Em depoimento, Amarildo teria relatado que o motor foi afundado primeiro. As forças de segurança agora seguem com as buscas pela embarcação na região apontada por Amarildo.

Na quinta-feira (17/6), os policiais percorreram cerca de 12 km pelo Rio Itaquaí, nas proximidades da comunidade ribeirinha Cachoeira, mas não localizaram a embarcação.

Em comunicado à imprensa, o comitê afirma que a embarcação não foi localizada “apesar de exaustivas buscas realizadas nesta data no perímetro apontado”.

Também foi realizado um reconhecimento aéreo no itinerário de Atalaia do Norte até a base da Fundação Nacional do Índio (Funai) na entrada da terra indígena Vale do Javari. O custo da operação até o momento é de R$ 684 mil.