Polícia prende 12 pessoas acusadas de tráfico de drogas em boates e assassinatos

tráfico 3

Com objetivo de cumprir 12 mandados de prisão temporária e 10 mandados de busca e apreensão, expedidos pela juíza Mirza Telma de Oliveira Cunha, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, a operação teve início na tarde de quarta-feira (15), e se estendeu até a manhã de hoje. A ação foi coordenada pelos Delegados Paulo Martins e Sancha Sodré, Titular e Adjunta, respectivamente da Especializada.

De acordo com o Delegado Paulo Martins, o bando foi preso após as equipes de investigadores descobrirem o esquema de comercialização de drogas em boates na Zona Leste, durante as investigações sobre o homicídio do empresário Raimundo Souza de Aguiar, 40, conhecido por “Roberto”, ocorrido no mercadinho da vítima, no dia 26 de setembro desse ano, na rua 185, núcleo 15, bairro Novo Aleixo, na Zona Norte de Manaus.

O empresário Williams Roger da Rocha Veiga, 33, conhecido por “Maicon”, foi preso na casa dele na rua 2, situada no Bairro da Paz, Zona Centro-Oeste da capital. Williams é dono de uma boate chamada “Badalação”, situada na avenida Autaz Mirim, na Zona Leste.

José Borges da Silva Filho, 33, o “Neném”, e a companheira dele Kelly Stephanie Oliveira Sarmento, 28, foram presos em casa, na rua 29, na conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo. No local, os policiais também prenderam a babá Rosilda Silva de Souza, 19, que trabalhava na residência. Sebastião Freitas de Oliveira, 32, o “Júnior”, e Rainele Santos da Silva, 32, conhecida como “Nega”, foram presos na rua 29, na conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo, ambos em suas respectivas residências.

Lidiane Lima de Souza, 29, a “Sol”, foi presa na rua Alfazema, bairro Jorge Teixeira. Na rua Castro, bairro Coroado 3, os Policiais Civis prenderam Elson Wellesgon Lopes Santos, 26. A empresária Daniele Mariano Fernandes, 26, e o marido Rômulo Mendonça de Alencar, 27, foram presos na boate denominada “Nigth Show Bar GLS”, de propriedade deles, situada na avenida Autaz Mirim, no bairro São José.

Manoel Carvalho da Costa, 29, conhecido como “Magrão” e sua mulher, Katney Cristina Souza Monteiro, 25, donos da boate chamada “Star Girl Show Clube”, também situada na avenida Autaz Mirim, bairro São José, foram presos no estabelecimento.

No decorrer da operação foram apreendidas ainda oito porções grandes de substâncias com características de entorpecentes como pasta base, cocaína em pó, oxi e maconha, seis trouxinhas com aspecto de cocaína em pó, um revólver calibre 38 com três munições intactas, três projéteis intactos de PT 40, R$ 205 em dinheiro, uma balança de precisão, 16 celulares, dois tablets, um notebook, um automóvel modelo Peugeot 207, cor prata e placas NEB 3211, uma motocicleta modelo Honda Bros, cor azul e placa JXF 0584, além de material para embalagem de drogas.

Durante coletiva de imprensa realizada na sede da Delegacia, o Delegado Paulo Martins informou que “Maicon” e “Neném” tiveram participação efetiva na morte do empresário. A dupla cuidou da logística do crime, além de recrutarem dois homens, que foram as pessoas que desceram do veículo e efetuaram os disparos contra a vítima, sendo que estes já foram identificados e estão sendo investigados.

Na ocasião, Martins revelou detalhes das investigações. “Já sabemos como funcionou a dinâmica do crime, as pessoas envolvidas e o motivo do empresário ter sido executado. De acordo com as investigações Maicon teria recebido ordens da cúpula que comanda o tráfico de drogas na área para executar o homem, pois a vítima emprestava dinheiro para estes traficantes, os quais não queriam quitar a dívida com ele”, disse a autoridade.

Martins informou ainda que no decorrer das investigações foi constatado que “Maicon” controlava o tráfico de drogas na Zona Leste, mais precisamente nas proximidades da feira do Mutirão e algumas boates. “Ele comandava o tráfico em boates como Natureza, Nigth Show Bar GLS, Star Girl Show Clube, entre outras e em função disso, recrutava todas as pessoas que foram presas para trabalhar na venda de drogas”, frisou.

“Nós já tínhamos informações que Maicon que era o principal suspeito de ter encomendado a morte do empresário Roberto, e a partir daí começamos a monitorá-lo, com isso descobrimos essa rede de tráfico de drogas e percebemos o envolvimento de todas essas pessoas. As boates eram utilizadas pelos donos para a comercialização de drogas”, declarou Sancha Sodré.

A Delegada Adjunta ressaltou que “Magrão” vendia drogas na boate dele para “Maicon”, logo, ele ficou devendo entorpecentes, além de adquirir drogas com outro fornecedor, com isso no último dia 30 de setembro, “Maicon” com a ajuda de Sebastião, recrutaram mais duas pessoas que foram até a boate de “Magrão” e tentaram matá-lo com cinco disparos, mas sobreviveu.

Na sede da Delegacia, Williams, José Borges, Kelly e Rosilda foram autuados em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas, posse de arma de fogo de uso permitido e posse de munição de uso restrito. Katney, Manoel, Rômulo, Saniele, Rainele e Lidiane, foram autuados por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Os outros, Sebastião e Elson foram autuados por associação para o tráfico e associação criminosa.

O Delegado Paulo Martins informou que Williams e José Borges, foram indiciados pela morte de “Roberto”, já Williams e Sebastião foram indiciados pela tentativa de homicídio contra Manoel, o “Magrão”.

Ao término dos procedimentos os 12 serão encaminhados à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde deverão ficar à disposição da Justiça.

tráfico 1

tráfico 2