Policiais civis de Tabatinga prendem homem que matou professor com mais de 70 golpes de canivete

Assassino professor 1

Assassino professor 2Policiais civis lotados na Delegacia Interativa de polícia de Tabatinga, município distante 1.108 quilômetros em linha reta da capital, sob o comando do delegado titular, Jony Cledson Barbosa, prenderam na manhã da última quinta-feira, dia 3, por volta das 11h, em via pública, no bairro São Francisco, Adriel Batista Ribeiro, 21, por envolvimento no homicídio do professor José Aparecido Lima Dorado. O crime ocorreu em outubro deste ano, naquele município.

De acordo com o delegado, o crime ocorreu na madrugada do dia 12 de outubro, após um show musical. Foi uma morte brutal, onde o infrator efetuou mais de 70 golpes de canivete no pescoço da vítima. “Essa morte violenta e inesperada deixou toda a sociedade tabatinguense revoltada. A frieza apresentada pelo rapaz é tamanha que nem no momento da prisão esboçou qualquer reação, como se nada tivesse acontecido”, explicou a autoridade policial.

Segundo investigações, o homem foi a última pessoa a ter contato telefônico e pessoal com o professor. Testemunhas disseram que o celular da vítima foi utilizado pelo infrator desde o dia do crime até o momento que foi recuperado para a perícia. O professor Dorado, como era conhecido, tinha 35 anos e lecionava na Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Diante de todos os indícios apontados pelas investigações sobre a participação do homem no crime, o delegado representou pela prisão dele, que foi concedida pela juíza de direito Danielle Monteiro Fernandes Augusto, da 2ª Vara do município.

Na unidade policial o jovem foi indiciado por latrocínio e irá aguardar decisão judicial na carceragem do município. A polícia continuará investigando a motivação do crime.