Policial é demitido após dar socos em homem negro nos EUA

blank

Foto: Reprodução

Um policial foi demitido no domingo (13) por uso excessivo da força após agredir um homem negro no rosto durante uma abordagem no trânsito na Geórgia, nos Estados Unidos. Um vídeo registrou a agressão.

O caso aconteceu na sexta-feira (11). O carro em que estava Roderick Walker, de 26 anos, foi parado pelos policiais, porque uma luz traseira estava apagada. No veículo, estavam o motorista, a namorada de Walker, seu filho de 5 meses e seu enteado.

De acordo com o relato do advogado de Walker, Shean Williams, agentes pediram os documentos do seu cliente. Os policiais teriam ficado irritados depois que Walker questionou por que precisariam deles já que ele não era o motorista.

O vídeo, que foi amplamente compartilhado nas redes sociais, mostra Walker deitado no chão com os dois policiais sobre ele. Um dos agentes dá socos repetidamente em seu rosto.

A namorada se desespera alertando que ele não estava conseguindo respirar.

Enquanto Walker é algemado, o policial que o agrediu diz que Walker o mordeu. Ele nega.

O advogado afirmou disse que Walker estava tentando sobreviver e perdeu a consciência pelo menos duas vezes durante o espancamento.

Ele foi preso sob suspeita de obstrução do trabalho da polícia e agressão, de acordo com os registros da detenção.

Uma foto tirada mais tarde na prisão mostra que o olho esquerdo de Walker roxo. Ele recebeu atendimento médico e está sendo monitorado.

O nome do policial não foi divulgado pelas autoridades locais.

Outros casos

Vários vídeos de abordagens policiais violentas contra homens negros têm sido compartilhados em redes sociais nos últimos meses, principalmente, após a morte do ex-segurança George Floyd, em Minneapolis.

Nos últimos dias, imagens da agressão contra Daniel Prude ocorrida em março, em Rochester, no estado de Nova York, chocaram a opinião pública. Os policiais pressionam contra o chão a cabeça de Prude até que ele perdesse os sentidos.

O homem, que estava desorientado e nu (apenas com um saco na cabeça) no momento da abordagem, morreu dias depois por asfixia e outras complicações.