População de Barreirinha sofre há 2 meses sem água, mesmo com licitação milionária para festas

Enquanto o prefeito de Barreirinha (a 623 quilômetros de Manaus), Glênio Seixas, pretende gastar mais de R$ 7 milhões com a contratação de uma empresa de festas que vai prestar serviços à prefeitura, os cerca de 32 mil habitantes do município padecem há mais de 2 meses sem água nas torneiras. Por conta disso, o promotor de Justiça de Barreirinha, Marcelo Sales Martins, deverá inspecionar, nos próximos dias, as obras que estariam sendo feitas no município a fim de normalizar o abastecimento de água à população. (Veja ofício de denúncia ao final da matéria).

“Está sendo apurado, já tomei depoimento do responsável da área fui informado que o município está fazendo investimentos na área. Nessa próxima semana, as obras citadas serão inspecionadas”, informou o promotor Marcelo Sales Martins por meio de sua assessoria.

De acordo com a vereadora Elieide Castro, a inspeção às obras acontece após ela e mais três parlamentares formalizarem a denúncia junto ao Ministério Público. “Eu e alguns amigos, sendo os vereadores Van Alexandrino, George Bode e Evandro Belém, precisamos fazer um ofício e levar até o Ministério Público. Esse problema da falta de água ou do fornecimento inadequado está piorando com essa gestão descontrolada e água é um bem precioso para todos”, disse.

Para se ter uma ideia, a vereadora explicou ainda que “o pouco de água que é fornecido vem com barro, sujo e ainda sem força nas torneiras”. “Eu queria entender como o prefeito tem dinheiro para gastar R$ 7 milhões em festas e não tem nem dinheiro para pagar as obras e as melhorias na empresa que fornece o abastecimento de água. Alguns funcionários até trabalham no escuro porque a luz já foi cortada. E toda vez o prefeito diz a mesma coisa: que falta uma peça, um capacitor para poder melhorar o serviço. Por isso cobramos uma solução”, disse a vereadora Elieide.

Assim como a parlamentar, a dona de casa Regina Araújo, de 38 anos, explicou para a reportagem que a empresa de Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barreirinha (SAAE) tenta ajustar o problema realizando “gambiarras”, mas sem sucesso. “No início deste ano esse problema aumentou. Eles até fazem umas gambiarras, mas o problema não é solucionado”, disse.

Mais de R$ 7 milhões em festas

Recentemente o prefeito Glênio José Marques Seixas assinou contrato de homologação de licitação, firmando um acordo de mais de R$ 7 milhões para a contratação da empresa R de A Pessoa – ME. De acordo com a decisão o prefeito deve gastar os mais de R$ 7 milhões apenas com a “finalidade de atender as necessidades e demandas da Prefeitura municipal de Barreirinha”.

O valor também foi questionado pela vereadora Elieide Castro. “Como um prefeito firma um contrato com esse valor, sendo que no município de Barreirinha não fazemos nem ao menos cinco festas oficiais no ano? Esse valor precisa ser investigado”, finalizou.

Sem respostas

O Radar tentou contato com a prefeitura, assim como enviou demanda para a empresa de Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barreirinha (SAAE) pedindo explicações a respeito do problema, mas até a publicação desta matéria, não obteve retorno.

Veja o documento com a denúncia na íntegra