População de Careiro da Várzea denuncia falta de atendimento médico na unidade de saúde do município em plena pandemia

Foto: Reprodução

Moradores do município do Careiro da Várzea, município distante 25 km de Manaus, denunciaram ao Radar que, desde janeiro deste ano, está faltando médico no Hospital Antônio Maia Barbosa, que fica na sede do município, fazendo com que a unidade não funcione em certos dias da semana. Certos exames também não são feitos mais naquele hospital. Isso acontece exatamente quando o Amazonas enfrenta uma segunda onda da Covid-19, a capital está na fase vermelha, no entanto as cidades do interior ainda permanecem na fase roxa, a mais grave da pandemia.

De acordo com denúncias, na unidade de saúde não tem médicos, inclusive especializados, em três dias da semana, e não é feito mais exames por imagens, como ultrassom, Raio X, além de eletrocardiograma e endoscopia. Quem busca atendimento às segundas, quintas e sextas ou em outros dias, após às 16h, tem de sair da cidade e buscar ajuda na capital.

Segundo informações, a unidade de saúde conta hoje com cerca de 20 funcionários da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), sendo apenas quatros médicos, todos clínicos gerais em regime de 20h/semanais, que não dão conta de atender a população, em regime de plantão, todos os dias da semana. O restante do quadro é de enfermeiros, técnicos e pessoal administrativo, que estão se revezando para atender as demandas do hospital, que dispõe de 13 leitos, sendo seis especificamente para Covid-19.

De acordo com uma funcionária do hospital, que preferiu não ter o nome revelado, até o ano passado, a unidade estava funcionando em atendimento 24h, inclusive, com especialidades na área da ginecologia/obstetrícia e em gastroenterologia. Além disso, estava realizando os exames especializados, com profissionais contratados pela Prefeitura para operar os equipamentos, que foram adquiridos com verba, via Fundo Municipal.

“Nesses últimos anos, a população presenciou uma grande mudança na saúde do Município, que tinha atendimento 24h. Agora, os pacientes estão buscando atendimento aqui, principalmente, neste momento de pandemia, com grande aumento dos quadros suspeitos e confirmados, mas não estão encontrando. Com essa redução de profissionais e a negativa da Prefeitura em recontratar médicos e técnicos, a população careirense está abandonada e a mercê da própria sorte, de encontrar atendimento rápido e leitos nos hospitais de Manaus. Uma situação triste e lamentável”, desabafou a profissional, explicando ainda que, na hora da transferência de algum paciente, não tem médico e nem enfermeiro acompanhando essas pessoas. “Se tiver alguma intercorrência, morre no caminho”, finalizou.

Somente este ano, dentre as vítimas fatais do Careiro da Várzea, em decorrência da pandemia da Covid-19, estão o ex-prefeito, Ramiro Gonçalves, cujo mandato foi de 2017 a 2020; a então vice-prefeita e que também acumulava o cargo de secretária de Saúde, Conceição Costa; e do ex-vereador João Diniz.

De acordo com dados da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) até essa terça-feira (17), o município já havia confirmado 730 casos de Covid-19 e nove mortes pela doença.

O Radar entrou em contato com a Prefeitura de Careiro da Várzea e a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) para pedir questionar o motivo da redução dos profissionais de saúde do município, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.