Por descaso, Wilson Lima sequer construiu um batalhão para a polícia em Coari; prefeitura bancava até alimentação e combustível (ver vídeo)

O Batalhão ocupado pela PM pertence à guarda municipal, alimentação, estadia e até combustível para os PMS também era pago pela prefeitura

Após ver o governador Wilson Lima (PSC) perseguir policiais que não querem servir de pau mandado dele e nem agir com violência contra a população de Coari, a prefeitura decidiu reagir e pedir de volta o prédio onde funciona o 5º Batalhão da Polícia Militar. O prédio pertence ao município e deveria abrigar a Guarda Municipal, no entanto pela omissão do Governo do Estado estava cedido à PM (ver documento no final da matéria).

O pedido da prefeitura escancara como o governo de Wilson Lima abandonou a segurança no município de Coari, mesmo tendo como Comandante da PM Ayrton Norte, que já serviu no município e agora é o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo candidato do governador, Robson Tiradentes, do mesmo partido de Wilson Lima (PSC). Além do batalhão, a Prefeitura de Coari era quem também se responsabilizava pelo abastecimento de viaturas, alimentação e estadia dos policiais.

Situação humilhante dos policiais que o governador mandou pra Coari fazer campanha pro candidato dele, deitados em mesas numa escola.

Recentemente um grupo de PMs foi enviado novamente para Manaus após se insurgirem no uso da tropa para fins eleitoreiros em Coari. E o uso da polícia fica ainda mais evidentes quando vídeos mostram viaturas paradas próximas das bandeiradas do candidato do governador, enquanto nas ações dos opositores inexiste a mesma segurança.

Na noite desta quarta-feira (24), o ativista LGBTQIA+ Marcos Peres foi alvejado com um tiro nas costas enquanto deixava o comício de Keitton Pinheiro (Progressistas). Não havia policiais no local acompanhando a dispersão. Conforme Marcos que sobreviveu ao atentado, apenas ouviu dizer “o viadinho do discurso do Keitton” e em seguida já foi baleado.

Além disto, corre na tropa uma insatisfação com o governador que tem obrigado os policiais a viverem em situação vexatória no município, usando até mesas escolares como cama. Dizem que sequer recebem a mais para passar pelo constrangimento que tem sido o uso de uma instituição tão importante como a Policia Militar do Estado para fazer campanha.

Veja a notificação na íntegra