Por falta de quorum, foi adiado julgamento no TCE de representações contra Susam e Wilson Alecrim

tce julgamento susam

O julgamento de representações do Ministério Público de Contas (MPC) e do Instituto Amazônico de Cidadania que estavam na pauta da sessão do Pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE), nesta quarta-feira (20), contra a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), e seu secretário Wilson Alecrim foi adiado por falta de quorum, após um dos membros da Corte de Contas, o conselheiro e auditor, Alípio Firmo Filho , se julgar impedido, alegando que não estava no início do julgamento desses mesmos processos na sessão plenária da semana passada. Por este motivo, as representações foram retiradas de pauta e devem retornar na sessão do pleno do TCE da próxima semana.

A representação do MPC pede “apuração de possíveis ilegalidades na celebração do termo de contrato n° 070/2010 e seus aditivos firmados com a empresa Moriah Empreendimentos Ltda – EPP”, enquanto que o Instituto Amazônico de Cidadania fez “comunicação de ilegalidades ou irregularidades específicas no âmbito da administração público” que teriam ocorrido na Susam.