Portal do Holanda usa de forma indevida Live do Radar e põe em risco vida do repórter

Imagem de live do Radar Amazônico

Sem pedir autorização e sequer dar os créditos ao trabalho feito pela equipe de reportagem do Radar Amazônico, o Portal do Holanda usou fotos feitas a partir de frames (recortes) de uma Live do Radar realizada em ocupação de terra no Tarumã, próximo a Cachoeira Alta, na noite de segunda-feira, 03 de janeiro, em que foi morto a tiros o jovem Antônio Carlos Fernandes de 20 anos.

Bom lembrar que o Radar Amazônico foi o único que fez transmissão ao vivo da manifestação realizada por moradores do local denunciando que o rapaz teria sido supostamente morto pela polícia, tendo o compromisso com a verdade de inclusive ouvir a versão da polícia sobre os fatos, negando que o rapaz teria sido morto a tiros, mas sim de um “mal súbito”, algo do tipo um “ataque (cardíaco) fulminante”.

Mas, o Portal do Holanda não achou suficiente utilizar de forma indevida o material jornalístico feito pela equipe do Radar. Tanto em sua coluna como na manchete do site, Holanda postou um recorte da nossa Live em que aparece o repórter do Radar acompanhado de um texto em que diz o seguinte: “as provas se resumem a cartuchos que um repórter tentou esconder (Mas por que? Não se sabe. Ele os entregou aos militares, o que torna o caso mais grave. Foi um comportamento criminoso e eticamente reprovável)”.

O nome do repórter que cometeu o tal crime de ocultação de provas, Holanda não diz – se isso aconteceu, ele deve saber o nome do repórter, assim como os motivos também, já que os motivos são óbvios: proteger o governo de Wilson Lima de mais um escândalo.

Ao invés de deixar tudo às claras e, caso não tenha as informações decida fazer jornalismo investigativo, o Portal do Holanda decidiu pôr em risco a vida do repórter do Radar, já que alguém num surto de ódio, algo tão normal nos dias atuais, pode de repente chegar a insana conclusão de que o repórter retratado por Holanda é o repórter do Radar.

Classifico de insana conclusão, já que o Radar foi o veículo que ouviu a revolta da comunidade, se comoveu com a dor da mãe de Antonio Carlos, Dona Jandira, mas também ouviu a versão da polícia. O Radar foi atrás da verdade, buscou ter acesso ao laudo inicial do IML onde constatou que o jovem foi morto com arma de fogo.

Seria insano alguém também pensar que o Radar teria algum motivo para esconder a verdade. O Radar não tem acordo financeiro com o governo do Estado e, mesmo os parceiros que têm contratos com o Radar têm a plena consciência de que o dinheiro não está acima das dores de cidadãos amazonenses.

Mas, como disse antes, expor a imagem do nosso repórter o coloca em risco de que alguém desconte sua revolta, sem comparar antes o que é publicado no Radar e quem é que poupa o governo de Wilson Lima de toda e qualquer denúncia, mesmo que venha da boca do povo.

Mas agora o Radar é que pergunta, por que será que a equipe de reportagem do Portal do Holanda não usou suas próprias imagens, já que estava no local na noite da morte do rapaz? Será que além de não fazerem Live – bom lembrar que há anos deixaram de fazer transmissões ao vivo e os motivos são óbvios – não fizeram nem foto sobre a morte do rapaz?

Mas, como diria minha semianalfabeta, mas sábia mãezinha, é mais fácil pegar um mentiroso do que um coxo!