Anúncio Advertisement

Prefeito assina novo decreto que mantém Situação de Emergência contra sarampo em Manaus

Fotos: Alex Pazuello

Mesmo com um mês sem registrar novos casos de sarampo em Manaus, o prefeito Arthur Virgílio Neto assinou um novo decreto de Situação de Emergência que prorroga por mais 180 dias, o combate a doença na capital. O decreto foi publicado na edição 4507 do Diário Oficial do Município (DOM) dessa sexta-feira (28).

“Completamos um mês sem registro de novos casos de sarampo, graças ao nosso reforço intenso de imunizar crianças, jovens e adultos, não apenas nas Unidades Básicas de Saúde, mas também nas casas, escolas, igrejas e locais de grande movimento. Mesmo assim, optamos em manter por mais seis meses essas ações para que possamos erradicar novamente essa doença de Manaus”, declarou o prefeito.

O secretário municipal de Saúde (Semsa), Marcelo Magaldi, explica que o primeiro decreto publicado em julho deste ano, foi uma das medidas executadas pela Prefeitura de Manaus para combater a doença.

“A Semsa solicitou a manutenção da Situação de Emergência considerando que, apesar da redução no número de casos notificados da doença nos últimos meses, o vírus continua circulando no município, ainda com registros de novos casos suspeitos. Então, é preciso manter o alerta máximo para garantir a quebra da cadeia de transmissão”, informa Magaldi, destacando que entre 16 e 22 de dezembro, foram notificados apenas dois novos casos suspeitos.

O decreto também leva em consideração o fato de que, mesmo após a intensificação de vacinação e realização de campanha para a população de seis meses a cinco anos, que alcançou uma meta de cobertura de 103%, os casos suspeitos de sarampo nessa faixa etária ainda estão sendo registrados.

No  último informe, divulgado pela Semsa apontou que, desde fevereiro, Manaus registrou 8.977 notificações de sarampo. Desse total, 7.297 são casos confirmados, 1.668 descartados após investigação e 12 casos ainda sendo analisado.

Certificação

A assinatura do novo decreto segue ainda a recomendação da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e leva em conta a necessidade de eliminação do surto de sarampo em Manaus para assegurar a manutenção da certificação do Brasil e das Américas Livre do Sarampo.

O encerramento do surto só pode ser declarado após a ausência de confirmação de casos por um período de no mínimo 90 dias, sendo que o último caso confirmado de sarampo no município foi registrado no dia 22 de novembro.