Prefeito de Anori pretende gastar R$ 1,4 milhão na aquisição de ‘material de borracharia e peças de veículos’

Foto: Reprodução

O prefeito do município de Anori (distante a 194.31 quilômetros de Manaus), Jamilson Ribeiro Carvalho (MDB), pretende adquirir material de borracharia e peças automotivas pelo montante de R$ 1,4 milhão. O despacho foi homologado no Diário Oficial dos Municípios (DOM) desta segunda-feira (14).

Segundo documento, a empresa vencedora da licitação é a Ataliba Com. de Peças e Reparação de Veículos Ltda – EPP, com sede na Rua General Carneiro, 100, bairro São Francisco, Zona Sul de Manaus, inscrita no CNPJ nº 00.525.528/0001-84.

Em consulta ao site da Receita Federal, a empresa tem como atividade principal o “comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos automotores”, e possui capital social de R$ 992 mil. O quadro de sócios é composto por Ataliba Raimundo Batista da Silva, Yeda Cristina Silva de Souza, Lucas Ataliba Silva.

A empresa receberá o valor global de R$ 1.432.294,05 (um milhão, quatrocentos e trinta e dois mil, duzentos e noventa e quatro reais e cinco centavos). Apesar de apontar quais veículos da prefeitura receberão a aquisição de material de borracharia e peças de reposição, o documento não descreve exatamente quais materiais seriam adquiridos e qual o valor de cada um deles.

Gastos irregulares

Não é a primeira vez que o Radar captou contratações, no mínimo estranhas, do prefeito Jamilson Ribeiro. Em junho deste ano, o prefeito destinou quase meio milhão de reais dos cofres públicos, sem licitação para aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Numa primeira olhada, a contratação é vista como totalmente normal em tempos de pandemia do novo coronavírus, mas num olhar mais apurado sobre a situação, fica meio estranho, levando em consideração a baixa densidade demográfica de Anori, que possui um pouco mais de 16 mil habitantes, o que levar à conclusão lógica que não exista um quadro de servudores da saúde tão grande para a compra de meio milhão de reais em EPIs.

Questionado pelo Radar, Jamilson contrariou o que estava descrito no Diário Oficial. Segundo o prefeito, a compra não seria apenas de EPIs, porém não soube informar qual a lista de material adquirido.

Pandemia

Contrariando a recomendação do Ministério da Saúde de suspender eventos, no dia 26 de março deste ano, Jamilson Ribeiro resolveu homologar a contratação de uma empresa de eventos por R$ 2,1 milhões em plena pandemia.

No documento, o prefeito realizou contratação da empresa Alpha Produções de Eventos para realizar serviços de “organização, iluminação e sonorização para festas e eventos do município de Anori/AM”. Entretanto, o Radar Amazônico constatou que a empresa possui outro nome, chamado HG Service.

Jamilson declarou na época, que o processo de licitação foi feito no início do ano e que isso não significa que seria realizada uma festa durante este período de suspensão de eventos.

Sem resposta

O Radar Amazônico solicitou esclarecimentos da assessoria da prefeitura de Anori e aguarda o posicionamento. Assim que obtiver resposta, a matéria será atualizada.

Confira o documento na íntegra