Prefeito de Coari corta gastos de R$ 700 mil com festa de carnaval para tirar o povo da lama

Maga e Obras capa
A farra com dinheiro público que acontecia todos os anos em Coari sob justificativa da realização de festas para o povo parece ter chegado ao fim. O prefeito de Coari, Raimundo Magalhães, anunciou no último sábado, 22, o cancelamento do carnaval oficial da cidade e garantiu que os recursos serão usados para as obras de infraestrutura no bairro Nazaré Pinheiro, Há anos, mais de quatro mil famílias do bairro Nazaré Pinheiro vivem na lama, sem infraestrutura e saneamento básico.

A exemplo de vários prefeitos por todo Brasil, o prefeito de Coari, Raimundo Magalhães, tomou a decisão de cancelar a festa de Momo e investir todo o dinheiro que seria gasto com a organização da festa na infraestrutura do bairro Nazaré Pinheiro. De acordo com Magalhães, o cancelamento da festa vai gerar uma economia de aproximadamente R$ 700 mil reais aos cofres públicos.

“Todo o dinheiro que seria aplicado na contratação de bandas, som, iluminação e trio elétrico serão destinados aos serviços de drenagem, asfaltamento e construção de meio-fio no bairro Nazaré Pinheiro”, justificou o prefeito.

Magalhães ressaltou que optou por não investir no carnaval após constatar mais redução ainda nos repasses dos royalties do petróleo para Coari, que só no ano passado representou R$ 33 milhões de reais a menos nos cofres do município. “Então, há uma escolha difícil a ser feita: a prioridade é fazer festa ou investir na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos de Coari?  Acredito que a opção mais acertada é a segunda, porque a verdadeira festa é dar moradia digna para essas famílias.

Esta é a terceira vez que o prefeito destina recursos de festa para outras finalidades definidas por ele como prioridade. A primeira atitude dessa natureza ocorreu logo no segundo mês de sua gestão, em junho do ano passado, quando cancelou o Festival folclórico de Coari, que teria um custo aproximado de 2 milhões de reais, e transformou em ajuda humanitária para as famílias atingidas pela maior enchente que o município registrou nos últimos 50 anos. Outra ação semelhante aconteceu durante a realização das festas de fim de ano, que não foram canceladas, mas tiveram os custos reduzidos drasticamente, para que o município em parceria com o governo do Estado pudesse fazer investimento em saúde.

Enquanto em 2013 a Prefeitura gastou mais de R$ 3 milhões de reais só com o Auto de Natal, em 2015 o evento custou apenas R$ 100 mil reais. Foi graças a essa economia que foi possível inaugurar no dia 28 de dezembro do ano passado duas importantes unidades de saúde, o Centro Especializado em Reabilitação (CER2), com capacidade de oferecer serviços gratuitos de reabilitação física, visual e auditiva a mais de 3 mil pessoas por mês e o primeiro Hemonúcleo do interior do Estado, chamado Paulo Jorge Matos, um extensão do Hemoam de Manaus, com equipamentos modernos e uma equipe técnica qualificada para auxiliar o Hospital Regional de Coari em cirurgias e tratamentos de doenças com sangramentos que antes só eram realizados em Manaus.

Blocos Mantidos

Ainda de acordo com o prefeito Magalhães, o cancelamento do evento não impede que blocos carnavalescos saiam às ruas durante os dias de folia. Porém as agremiações deverão informar a administração e a Polícia Militar com antecedência sobre os dias, horários e trajetos previstos.

“Não estamos cancelando o carnaval da cidade, só não iremos realizar o carnaval que é realizado no Centro Cultural Carlos Braga, que é promovido com patrocínio exclusivo da Prefeitura de Coari, porque estamos encaminhando os recursos para a infraestrutura da cidade. Estamos pensando no bem-estar da população”, disse Magalhães.

Outros tradicionais eventos, como o Baile de Carnaval da Terceira Idade, estão mantidos, assim como os bailes que ocorrem nas casas de show e nas ruas da cidade. Para garantir a segurança dos foliões que forem às ruas durante o carnaval acompanhar os blocos, o DETRAC (Departamento de Transito de Coari), a Guarda Municipal e a Polícia Militar estarão nas ruas.