Prefeito de Envira vai gastar mais de um milhão para construir escolas de madeira com duas salas

blank

Foto: Reprodução Internet

O prefeito do município de Envira, Ivon Rates, assinou um termo aditivo, acrescentando R$ 25 mil (vinte e cinco mil reais), ao valor incial de R$ 1.126.088,56 (um milhão e cento e vinte e seis mil e oitenta e oito reais e cinquenta e seis centavos ), para construção de escolas de madeira com duas salas de aula na zona rural do município de Envira. A assinatura do termo foi publicada no Diário Oficial dos Municípios (DOM), desta sexta-feira (23), (veja documento no final da matéria).

Segundo a publicação, o contrato original com a empresa EIRUNEPÉ CONSTRUÇÕES LTDA – ME, situada no Conjunto Hiléia, zona Centro-oeste de Manaus, tinha o valor de R$ 1.126.088,56 (um milhão e cento e vinte e seis mil e oitenta e oito reais e cinqueta e seis centavos), mas Ivon Rates decidiu ainda aumentar, em mais R$ 25 mil, passando agora para o valor total de R$ 1.151,008,30 (um milhão e cento e cinquenta e um mil e oito reais e trinta centavos).

A publicação no Diário Oficial não traz maiores informações do tipo a quantidade de escolas a serem construídas, nem a localização dessas escolas, nem o tamanho de área construída e nem em que fase está aconstrução dessas unidades de ensino que justifique o aumento no montante de recursos destinados a essas obras.

Na tentativa de saber dessas informações, o Radar Amazônico entrou em contato via telefone com a Secretaria de Infraestrutura do município, mas a pessoa que atendeu não se identificou e disse que não poderia informar pois trabalhava na Secretaria de Meio Ambiente. O Radar também entrou em contato via e-mail com Júlio Chagas, secretário de Gabinete do prefeito, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.

Alvo de CPI

Como mostram as matérias do Radar, Ivon Rates já foi alvo de acusações de diversos tipos de irreguaridades. Em 2018 o Ivon Rates foi alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) por ter alugado a própria casa como sede da prefeitura de Envira. A CPI foi solicitada pelos vereadores Ismael Dutra (MDB), Tonty Silva (PV), Izequiel Maia (PSC) e Lindomar Silva (MDB).

De acordo com a acusação, feito por vereadores de Envira, em 2013, assim que assumiu a prefeitura, Ivon declarou a antiga sede do Poder Executivo, utilizada até então pelo gestor anterior, como inutilizável, alugando sua casa como nova sede da prefeitura, sem licitação ou consulta à Câmara Municipal.

Veja o documento na íntegra

blank