Prefeito de Humaitá cria o “Vale Gás” de cem reais e distribui dinheiro em pleno ano eleitoral (ver vídeo)

Foto: Acritica de humaitá

Em um vídeo, com uma vinheta do Plantão de Notícias da TV A Crítica de Humaitá, o prefeito daquela cidade do interior do Estado, distante 697km de Manaus, Herivaneo Seixas (PROS) faz propaganda de seu mais novo “projeto” que, segundo ele, tem o objetivo de “erradicar a pobreza” em Humaitá. Ele não está falando de nenhum projeto para geração de emprego e renda como dá pra pensar no começo do vídeo, mas sim da distribuição de R$ 100,00 (cem reais) para famílias cadastradas pela Secretaria Municipal de Assistência Social da prefeitura de Humaitá. O tal projeto também é, a todo momento, denominado de “Vale Gás” pelo repórter que faz a matéria que está mais para espaço publicitário do que material jornalístico.

Isso aconteceu em dezembro do ano passado e um ginásio esportivo da cidade lotado por famílias que receberão o dinheiro foi o “palco” escolhido pelo prefeito para lançar o seu “programa de erradicação da pobreza. “Estou muito feliz hoje por estar realizando um sonho na minha vida de trazer pro povo um benefício (…) Simplesmente um auxílio à pobreza que tanto necessita”, diz o prefeito ao repórter da TV A Crítica, exaltando ainda o fato de estarem na quadra em busca de receber o dinheiro “quase mil pessoas”, segundo contabiliza o próprio prefeito no vídeo.

O projeto para distribuir dinheiro para famílias carentes, conforme conta o prefeito Herivaneo Seixas foi criado “através das Leis, da legalidade” com a aprovação da Câmara Municipal de Humaitá – todos candidatos à reeleição igualzinho o prefeito. Representando a Câmara do município e fazendo discurso pro povo também esteve presente ao lançamento do Vale Gás, o vereador Antonio Carlos, o Totinha.

blankE, levando-se em considerações informações da própria secretária de Ação Social do município que fala de famílias que não têm sequer luz elétrica e água encanada, o prefeito Herivaneo Seixas ao invés de mudar essa realidade achou mais fácil e mais digno distribuir dinheiro em ano eleitoral parecendo desconhecer que isso se caracteriza como abuso de poder econômico e político.