Prefeito de Humaitá deixa pacientes e funcionários de hospital sem alimentos há mais de duas semanas (ouça áudios)

Até mesmo para quem trabalha no hospital a situação não é diferente e estão "proibidos de fazer a alimentação no local".

Foto: Divulgação/ Radar Amazônico

Pra quem busca atendimento no Hospital Regional de Humaitá, distante a 591.33 quilômetros da capital amazonense, e necessita ficar internado ou está como acompanhante no hospital, tem passado por maus bocados. Tudo isso, pois, o prefeito Dedei Lobo (PSC), segundo denúncias enviadas ao Radar, tem deixado faltar alimentos na unidade de saúde.

Ainda conforme o denunciante, até mesmo para quem trabalha na unidade sente a falta de alimentação e são proibidos de se alimentar em alguns momentos. “Tá complicado, pois, trabalhamos aqui (Hospital) e precisamos nos alimentar e fomos proibidos de fazer nossas refeições, e já não tem alimentação nem para os pacientes e acompanhantes” disse um funcionário do hospital que preferiu não se identificar.

De acordo com áudio enviado ao Radar, o hospital já estaria em um nível crítico sem alimentos há mais de duas semanas e o almoxarifado teria informado que o processo de fornecimento estaria “parado”.

Para tentar ajudar, o denunciante chega a falar que vai levar frutas e verduras para o hospital caso o prefeito Dedei Lobo não resolva a situação. Em fotos enviadas ao Radar, o denunciante mostra o depósito de alimentos do hospital, apenas com poucas verduras, poucas frutas, além de sardinha, algo que parece ser milho enlatado e condimentos como maionese e ketchup .

Porém, está não é a primeira vez que o cenário de fome e miséria ronda o  município de Humaitá. No dia 10 de janeiro deste ano, um vídeo que mostrava pessoas de todas idades colocando em sacolas de lixo, frangos que foram descartados e enterrados no aterro sanitário da cidade viralizaram na internet. No lixão não havia nenhum fiscal da Prefeitura de Humaitá para evitar que as pessoas continuassem cavando o lixão e pegando o alimento. Na época, quanto mais a notícia se espalhava, mais pessoas chegavam no local na tentativa de garantir um pedaço do frango.

O Radar tentou contato com a assessoria de comunicação da prefeitura de Humaitá para saber afinal quando o problema da alimentação da unidade estará resolvido e segue sem retorno até o fechamento desta matéria.