Prefeito de Rio Preto da Eva vai gastar cerca de R$ 820 mil em plena pandemia com Wesley Safadão e atrações nacionais no aniversário da cidade

Os shows em Rio Preto da Eva estão marcados para acontecerem de 31 de março até 3 de abril

Conhecido por gostar de uma boa farra, o prefeito de Rio Preto da Eva (a 79 quilômetros de Manaus), Anderson Sousa (PP), anunciou apresentações dos cantores Wesley Safadão, Israel Novaes e Léo Magalhães para comemorar o 40° aniversário do município. As apresentações musicais em plena pandemia custarão cerca de R$ 820 mil reais aos cofres públicos.

O anúncio foi divulgado em uma live do prefeito nas redes sociais. Segundo ele, o evento será realizado no dia 31 de março, data que Rio Preto da Eva comemora aniversário, e vai se estender nos dias 1°, 2 e 3 de abril, com apoio do Governo do Amazonas.

Durante a live, o “prefeito ostentação”, como é popularmente conhecido no município, também confirmou a realização da 5.ª Feira da Piscicultura e a 1.ª Feira do Artesanato Indígena, em que 12 etnias estarão no local para apresentar produtos de artesanato.

Conforme a programação do evento, no dia 31 de março será apresentação do cantor Léo Magalhães, no dia 1° de abril com Israel Novaes, e a festa encerra com Wesley Safadão.

Pagamento do cachê

Entretanto, o prefeito de Rio Preto da Eva não divulgou o valor do pagamento dos shows dos respectivos artistas no Portal da Transparência do município. Segundo a revista Isto É Dinheiro, o cachê de Wesley Safadão é cerca de R$ 450 mil por apresentação.

O valor de um show do cantor Léo Magalhães chega a custar R$ 220 mil para uma 1h30 de apresentação. Em dezembro de 2021, a Prefeitura de São José do Xingu (1.200 quilômetros de Cuiabá) contratou o artista pelo mesmo preço.

Em 2019, conforme noticiado pelo Radar Amazônico, o ex-prefeito de Itacoatiara (a 175 quilômetros de Manaus), Antônio Peixoto (PT), pagou R$ 150 mil para contratar o show do cantor Israel Novaes como atração do Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani) daquele ano.

A contratação do cantor foi realizada por meio da empresa Show Mix Entretenimento, com dispensa de licitação. Na época, o caso tornou-se inclusive alvo de investigação do Ministério Público do Amazonas (MPAM).

Precariedade

Enquanto será gasto um alto cachê nos shows dos respectivos artistas, a população de Rio Preto da Eva enfrenta sérios problemas na mobilidade urbana, principalmente com a falta de estrutura e total precariedade da rodovia estadual AM-010.

Os acidentes de trânsito na rodovia são constantes, que devem ser até mesmo agravados com o intenso fluxo de carros que irão para a cidade no período deste evento.

O Radar Amazônico vem mostrando o descaso com a AM-010 durante a gestão de Wilson Lima (União Brasil). Segundo o governador, o valor da recuperação da AM-010 será de R$ 366 milhões, e R$ 10 milhões já foram pagos. Mesmo com o alto valor já pago pelo governador às empresas, o que se tem visto pela população que utiliza o local é a péssima sinalização, asfaltamento e a condição insustentável de trafegar pela avenida.

Resposta

O Radar Amazônico entrou em contato com a Prefeitura de Rio Preto da Eva e o Governo do Amazonas solicitando um posicionamento a respeito do cachê que será pago aos respectivos artistas para a festa de aniversário do município. Até a publicação desta reportagem, não houve resposta.