Prefeito de Tabatinga é alvo de investigação do MPAM após comprar combustíveis por mais de R$ 5 milhões

A compra dos combustíveis em Tabatinga, no interior do Amazonas, foi noticiada em primeira mão pelo Radar Amazônico

tabatinga prefeito

Foto: Reprodução

O prefeito de Tabatinga (a 106 km da capital), Saul Nunes Bemerguy (MDB), será investigado pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM) pela compra de aproximadamente R$ 5 milhões em combustíveis no município. A denúncia do valor milionário foi publicada em primeira mão pelo Radar Amazônico no dia 6 de janeiro deste ano.

Na época, de acordo com o Diário Oficial dos Municípios do Amazonas, o alto valor da compra de combustíveis seria “para atender as necessidades das secretarias municipais da prefeitura de Tabatinga” e pago durante o período de apenas seis meses, custando mais de R$ 400 mil reais mensalmente aos cofres públicos. O documento não especifica quais itens seriam fornecidos.

Duas empresas foram contratadas para fornecer os combustíveis à Prefeitura de Tabatinga: ‘Andre Almeida da Silva’ e ‘Posto Irmãos Nunes Comércio Varejista de Combustíveis LTDA’.

A investigação contra a Prefeitura de Tabatinga foi publicada no Diário Oficial do MPAM — ver no final da matéria — nessa quinta-feira (24) e assinada pela promotora de Justiça, Fabia Melo Barbosa de Oliveira.

Com isso, o MPAM solicitou um prazo de três para que o prefeito Saul Nunes Bermeguy preste esclarecimento a respeito da compra.

O Radar Amazônico entrou em contato com a Prefeitura de Tabatinga solicitando um posicionamento a respeito do inquérito civil do MPAM. Até a publicação desta reportagem, não houve resposta.

Polêmicas

Essa não é a primeira vez que Saul Bemerguy realiza contratos “duvidosos”. Em outubro de 2020, o Radar noticiou que ele pretendia gastar mais de R$5,4 milhões em serviços de recapeamento asfáltico.

Outro contrato que deu o que falar foi a compra de materiais de informática por R$3,4 milhões no início da pandemia de Covid-19.

Publicação Diário Oficial