Prefeito de Tabatinga vai gastar mais de R$5 milhões na compra de combustíveis

O valor será divido entre duas empresas pelo período de apenas seis meses

Foto: Reprodução/Internet

Em mais um de seus contratos milionários, o prefeito de Tabatinga (a 1.106 km da capital), Saul Nunes Bemerguy (MDB) gastará mais de R$5 milhões na compra de combustíveis. O montante é dividido para duas empresas e consta em um extrato de registro de preços publicado no Diário Oficial dos Municípios nesta quinta-feira (6). (Confira o documento no fim da matéria)

O alto valor  da aquisição (compra) de combustíveis e derivados de petróleo será “para atender as necessidades das secretarias municipais da prefeitura de Tabatinga” e será pago durante o período de apenas seis meses, custando mais de R$ 400 mil reais mensalmente aos cofres públicos. O documento assinado pelo gestor não especifica quais itens cada empresa fornecerá à prefeitura.

Empresas

A primeira empresa contratada é a ‘Andre Almeida da Silva’. Inscrita no CNPJ 19.244.926/0001-50, ela receberá R$568.940,00 (quinhentos mil, seiscentos e sessenta e oito, novecentos e quarenta reais) para fornecer os itens 01,02,04,05,06,07,09,11,12,13 e 14.

Localizada no centro do município, a empresa Andre Almeida possui apenas um sócio, cujo nome é o mesmo da empresa e registra o capital social de R$105 mil.

Fonte: Receita Federal

Já a segunda empresa, a ‘Posto Irmãos Nunes Comércio Varejista de Combustíveis LTDA’ receberá o montante de R$4.646.000,00 (quatro milhões, seiscentos e quarenta e seis mil reais) para fornecer os itens 03,08 e 10.

Com um capital social registrado de R$600 mil, a empresa possui dois sócios: Thiago Moreno Nunes e Bruno Moreno Nunes. Ela fica localizada  no bairro Rui Barbosa, no município.

Fonte: Receita Federal

Apesar de apontar as contratadas e a numeração dos itens, o documento não menciona ao que esses itens correspondem, se são serviços ou equipamentos e afins.

E a falta de informações se agrava ainda mais considerando que o alto valor de R$5.214.940,00 (cinco milhões, duzentos e catorze mil, novecentos e quarenta reais) serão pagos pelo período de apenas seis meses. A prefeitura gastará assim R$434 mil por mês somente com gasolina.

Tendo isso em vista, o Radar procurou a assessoria de comunicação da prefeitura e questionou quais itens são esses e o que justificaria a necessidade da compra de tanto combustível. A reportagem aguarda resposta.

Polêmicas

Essa não é a primeira vez que Saul Bemerguy realiza contratos “duvidosos”. Em outubro de 2020, o Radar noticiou que ele pretendia gastar mais de R$5,4 milhões em serviços de recapeamento asfáltico.

Outro contrato que deu o que falar foi a compra de materiais de informática por R$3,4 milhões no início da pandemia de Covid-19.

Alvo dos órgãos de controle

Mas os contratos e atividades suspeitas do prefeito não ficam somente em “achismos”, ao contrário, eles são alvos de investigações. Como foi o caso do Ministério Público Federal (MPF), que o denunciou à Justiça em março de 2020 por desviar mais de R$ 19 milhões em verbas federais destinadas à educação da cidade.

Um ano depois, em julho de 2021, Saul também foi alvo de outra investigação que resultou na operação Maguta, dessa vez da Polícia Federal. Ele foi apontado como integrante de um esquema de licitação fraudulenta que previa a construção de escolas e creches municipais.

Confira o extrato na íntegra:

Fonte: Diário Oficial dos Municípios