Prefeito de Tapauá terá que explicar falta de abrigos para crianças no município

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) instaurou um Inquérito Civil para apurar a possível omissão do prefeito de Tapauá (a 448 quilômetros de Manaus), José Bezerra Guedes (MDB), mais conhecido por “Zezito”, referente a falta de abrigos para acolhimento de crianças e adolescentes na cidade. A informação consta no Diário Oficial do órgão, na edição de terça-feira (21). (Veja documento no final da matéria)

Para instaurar o inquérito, o promotor de Justiça, Bruno Batista da Silva, levou em consideração um relatório psicossocial do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) informando que, atualmente, “11 crianças estão fora de suas famílias de origem e que as famílias extensas, onde esses menores se encontram, estão, em sua maioria, em situação de vulnerabilidade social”.

O promotor também considerou que a ausência de abrigo ou algum sistema semelhante impossibilita uma atuação satisfatória dos órgãos de proteção das crianças e adolescentes do município de Tapauá.

Diante das alegações, o MP determinou que o prefeito José Bezerra Guedes compareça à sede do Ministério Público da Comarca de Tapauá, no dia 10 de fevereiro, para prestar informações sobre medidas que já foram tomadas pelo município para implantação do abrigo ou outro programa semelhante, além de viabilizar as tratativas para assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Investigação

Em 2017, o prefeito Zezito Guedes e mais dez vereadores foram presos na “Operação Tapauara”, da Polícia Federal. O prefeito foi preso acusado de ser o ‘chefão’ de uma quadrilha que desviou, aproximadamente, R$ 62 milhões dos cofres da Prefeitura. Dois ano depois, em 2019, o MP entrou com uma ação penal contra oito vereadores por conduta criminosa, sob acusação de atrapalhar investigação que apura a existência de uma organização criminosa e a prática de desvio de recursos públicos através de fraudes à licitações na cidade. 

Na denúncia, o Ministério Público destacou que tramita no Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), uma Ação Penal contra alguns dos denunciados e o atual prefeito, José Bezerra Guedes para apurar a prática de crime de corrupção e integração a uma organização criminosa, estando as condutas denunciadas também atreladas a instrução criminal aberta pelo MP.

Confira documento na íntegra

clique para zoom