Prefeito e governador cancelam aumento da passagem e dão mais incentivos fiscais aos empresários, agora é de IPVA

artur e omar

Isenção de ICMS por parte do Estado desde 2003, mais isenção de ISS por parte da prefeitura concedida no mesmo ano, e ainda, por parte do Governo Federal, a redução a zero da contribuição para o PIS/PASEP e da Cofins incidentes sobre a tarifa, e mais a redução  a zero da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) na aquisição de óleo diesel, e mais desconto na contribuição patronal à seguridade social e redução a zero também do PIS/PASEP e da Cofins na aquisição de insumos relativos à operação dos serviços de transporte – óleo diesel, energia elétrica e bens de capital. E, além de todos esses benefícios fiscais, o governador Omar Aziz (PSD) e o prefeito de Manaus, Artur Neto (PSD) anunciaram, ontem (26) que os empresários de transporte coletivo de Manaus ainda terão “desoneração” – palavra complicada só pro povo não entender que o empresário vai deixar de pagar – do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o mesmo que a gente só falta vender as calças pra pagar. E ainda falaram sobre a concessão de mais subsídios – que eles (prefeito e governador) não especificaram quais subsídios são esses mas, com certeza, vão  ser recursos públicos deixados de serem aplicados em áreas como educação e saúde, pra  ajudar os “endividados e empobrecidos” empresários do transporte coletivo. Exemplo desses “pobrezinhos” é o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo (Sinetram), Acir Gurgacz, proprietário de empresas fazem parte do tal Consórcio Transmanaus – onde as mesmas empresas de sempre só mudaram de nome pra enganar os b estas que somos nós -, aquele mesmo que é dono de empresas de comunicação em Rondônia e senador da República por aquele Estado, que tem até jatinho particular, mas precisa de uma “forcinha” pra comprar o combustível, é lógico. Assim foi possível fazer com que eles voltem a cobrar R$ 2,75 pela passagem de ônibus, preço praticado em março desse ano quando o prefeito Artur Neto concedeu um reajuste de tarifa para R$ 3. (Any Margareth)