Prefeito garante que não haverá reajuste de tarifa de ônibus

O reajuste anual da tarifa de ônibus como é pretendido pelos empresários do transporte coletivo não será concedido. Essa foi uma garantia dada pelo prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto nessa quinta-feira (28). Arthur disse que não há a menor condição de aumentar a tarifa e lembrou que os empresários não cumpriram o que ficou acordado quando a tarifa foi reajustada em R$ 3,80, quando pactuaram a troca de 300 veículos novos e com ar-condicionado.

“Eu continuo no direito de cobrar a eles que façam o que não fizeram em 2017. Prometeram 300 ônibus novos com ar-condicionado e com porta à esquerda e deram apenas 40 ônibus sem ar-condicionado. Então eles estão em débito conosco, e portanto, eu posso dizer a eles (empresários) que pensem em aumento” afirmou o prefeito, que também enfatizou que “ninguém é obrigado a ficar aqui. Eles se queixam que têm prejuízo e mostram planilha que estão perdendo. Então se estão levando prejuízo podem ir embora de Manaus e não ficar aqui perdendo”, alertou.

Equívoco

Ao contrário das juras de redução da tarifa feitas pelos líderes do governo na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) – Dermilson Chagas então, nem se fala! – quando da votação da isenção do IPVA para o transporte coletivo, o prefeito Arthur Neto disse que o fato da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) ter aprovado a isenção do IPVA, não implica na redução da passagem do transporte coletivo, dada a baixa porcentagem que representa o valor na composição da tarifa.

“Há um certo equívoco na forma como está sendo colocada a questão do IPVA visto que ele representa apenas 4 ou 5 centavos do valor de uma passagem, de acordo com o cálculo técnico”, observou o prefeito.

Mas, levando-se em consideração o que disse o prefeito, existe uma maneira de haver redução na passagem de Ônibus. Ele enfatizou que, se o governo do Estado enviar o projeto de lei solicitando a isenção do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o diesel, e a Aleam aprovar, daí vai existir uma possibilidade real de se discutir a redução da tarifa de ônibus para R$3,50.

“A ideia é diminuir o preço da tarifa se o governador Amazonino Mendes fizer aprovar na Assembleia, e se os deputados concordarem com isso, é claro, a isenção do ICMS sobre o diesel. De outro modo não vai haver nenhum reajuste de passagem”, garantiu Arthur.

Transporte novo

Quanto a um novo sistema de transporte Arthur Neto revelou que no mês de janeiro irá apresentar o projeto do Bus Rapid Transit (BRT). Segundo ele, a implantação do novo modal deve acontecer por uma Parceria Público Privada (PPP) e já há um grupo interessado que apresentou uma proposta.

“Nós queremos fazer esse salto para o BRT e mostrarmos que nós somos capazes de oferecer um transporte de qualidade para Manaus. Faremos a exibição do primeiro consórcio que se apresentou e aí faremos um chamamento público para outros consórcios, para então iniciarmos um licitação rigorosa e implantar o BRT porque essa é a saída”, finalizou.

Com informações da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom)

Texto: Ulysses Marcondes / Semcom