Prefeito ouve educadores para traçar plano de recuperação das escolas municipais

Para traçar um plano de recuperação das escolas municipais que estão precisando de reparos urgentes, a Prefeitura de Manaus está ouvindo os educadores que estão a frente da administração desses estabelecimentos de ensino. O prefeito Artur Neto abriu o encontro com esses gestores, nessa terça-feira (03). Pela manhã, mais de 130 gestores participaram do encontro realizado na sede da Associação para o Desenvolvimento Coesivo da Amazônia (Adcam), na zona Leste. À tarde, outros 150 diretores compareceram ao Instituto Felippo Smaldone, na zona Oeste da capital.

“Pedi essa reunião para estabelecer uma comunicação mais direta e sincera com os nossos diretores. Sinto-me renovado, porque senti o pulso e a dedicação que eles têm com a Educação Básica”, elogiou o prefeito. “Ouvi atentamente cada reivindicação e já determinei a criação de uma frente de obras nas escolas municipais para sanar os problemas mais urgentes. Em novembro, vamos nos reunir novamente para verificar os avanços obtidos”, afirmou.

Ainda segundo Arthur Neto, 2018 será o ano em que Manaus completará o tripé que rege a qualidade da educação: valorização dos profissionais, ações pedagógicas e infraestrutura das escolas. Além da construção de 29 novas unidades de ensino pelo Projeto de Expansão e Melhoramento Educativo da Rede Pública Municipal de Manaus (Proemem), sendo 11 Centros Integrados Municipais de Educação (Cimis) e sete creches, a prefeitura também vai intensificar as ações de reforma nas escolas por meio de administração direta.

“Essa é a mais nobre das nossas metas, a de melhorar a qualidade da nossa educação e elevar a colocação dos nossos alunos no Ideb. Queremos ficar entre as dez capitais com os melhores índices e estamos muito confiantes. Primeiro, pelo empenho de todos os nossos educadores,  segundo, pela qualidade das nossas ações pedagógicas,  e terceiro,  pelas melhorias que agora serão possíveis  na infraestrutura dessas unidades de ensino”, reforçou o prefeito, que esteve acompanhado da primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária (FMS), Elisabeth Valeiko, no encontro. “Acima de qualquer outra coisa, vimos muito amor pela educação. E com amor tudo é possível”, disse ela, pontuando o compromisso desta gestão com a questão educacional do município.

A secretária municipal de Educação (Semed), Kátia Schweickardt, também participou das reuniões, juntamente com toda a diretoria e demais chefes de setores da pasta.

Demandas

Entre as principais demandas apresentadas pelos gestores das escolas da Semed estavam a manutenção de condicionadores de ar e uma melhor logística na distribuição do material e merenda escolar. Para Ilenilda de Araújo, diretora da Escola Municipal Leonor Uchoa de Amorim, na zona Leste da capital, é o começo de um novo momento para a educação em Manaus. “Estamos muito felizes com esse canal direto de comunicação criado com prefeito.  Foi bom saber que fomos ouvidos e que temos perspectivas de um novo cenário, que vai nos possibilitar mergulhar ainda mais nos avanços pedagógicos”, comentou.

Gestora da Escola Municipal Zilda Arns Neumann, do bairro Novo Israel, na zona Norte de Manaus, Roseane Damasceno da Cruz, destacou que a iniciativa das reuniões entre o prefeito e os diretores das unidades vai trazer importantes ganhos, tanto para o trabalho dos educadores das escolas, quanto para as ações da secretaria. “Esse canal de diálogo que foi aberto é importantíssimo para que a gente possa se sentir mais próximo da nossa diretoria macro e possamos repassar nossas experiências do dia a dia, para que eles conheçam mais profundamente, afinal, nossas ações são integradas”, defendeu.

Propostas para destinação de verba específica para as unidades de ensino municipais na dotação orçamentária, que funcionaria como um fundo de caixa para que os próprios diretores resolverem problemas menores e mais urgentes nas escolas, além do retorno do sistema de segurança presencial com o agente de portaria, também foram apresentadas ao prefeito.

“Na nossa próxima reunião quero dar o retorno para tudo que me foi apresentado, mesmo que não possa dar todas as soluções. De imediato já vamos ampliar o número de empresas que atuam na manutenção da refrigeração das escolas”, garantiu Arthur Neto. Ele também se comprometeu em avaliar a possibilidade de implementar o serviço de segurança privada nas unidade educacionais. “Precisamos ver o quanto isso vai impactar no nosso orçamento”, ponderou.

Fonte: Semcom

Fotos: Alex Pazuello / Semcom e Mário Oliveira / Semcom