Prefeito paga mais de meio milhão para Acrítica, somente em março

Foto: Euzivaldo Queiroz

Se o grupo Calderaro de Comunicação, do qual fazem parte a rádio, televisão, site e jornal A Crítica, já contava com recursos públicos do Governo do Estado até pra patrocinar torneio de dominó, campeonato de Pelada, e reality show (Peladão a Bordo), agora surgiu um novo e bom pagador, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante). Somente em março, o prefeito pagou R$ 574.742,31 (quinhentos e setenta e quatro mil e setecentos e quarenta e dois reais e trinta e um centavos) para a Rede Calderaro de Comunicação – ver relação de pagamentos no final da matéria. Bom lembrar que também são do Grupo Calderaro, a rádio Jovem PAN, a rádio FM O Dia e o jornal Manaus Hoje.

Fora os veículos do grupo A Crítica, apenas quem recebeu recursos da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Manaus (Semcom) foi a empresa Agência de Interatividade e Marketing Ltda, do empresário que também atua no governo de Wilson Lima, Durango Duarte, no valor de R$ 77.731, 37 (setenta e sete mil e setecentos e trinta e um reais e trinta e sete centavos). Esse valor teria sido gasto apenas para impulsionamento de matérias da prefeitura nas redes sociais.

Vale lembrar que, no início de sua administração, o prefeito de Manaus, David Almeida, ao levar algumas críticas da chamada mídia eletrônica – blogs, sites e portais –, convocou uma coletiva de imprensa para esculachar a quem chamou pejorativamente de “blogueiros”, colocando todos os jornalistas na vala comum, dando a entender que esses microempreendedores ganhavam dinheiro gracioso e ilegal.

O prefeito disse que tinha “blogueiro” ganhando R$ 60 mil na prefeitura de Manaus, enquanto ele, prefeito de Manaus ganhava apenas R$ 19 mil (dezenove mil reais) – bom lembrar que quase a totalidade dos “blogueiros” dos quais o prefeito fala são microempreendedores que pagam impostos e geram empregos. David Almeida chegou a questionar publicamente se era justo um “blogueiro” ganhar isso na Prefeitura.

Mas, qual será a explicação para que apenas um grupo de comunicação ganhe mais de meio milhão em apenas um mês? E se não é justo, conforme opinião do prefeito, pagar sessenta mil para um “blogueiro”, será que é justo gastar mais de setenta mil reais com impulsionamento de matérias nas redes sociais? A opinião de justiça do prefeito tem dois pesos e duas medidas, né mesmo meu povo?

Relação de pagamentos