Anúncio Advertisement

Prefeitos festeiros do Amazonas estão na mira do TCE

Eles vivem reclamando de escassez de recursos para investir em setores essenciais da administração pública, como saúde, educação e infraestrutura, mas na contramão desse discurso não falta dinheiro quando se trata de fazer festas nas cidades que administram. Os prefeitos do interior do Amazonas fazem festas grandiosas, como por exemplo, a Festa do Guaraná, em Maués, ou o Carnachoeira, em Presidente Figueiredo, e ainda o Carnaforró em Rio Preto da Eva, mas se negam a dar satisfação dos recursos públicos que saíram dos cofres dos respectivos municípios para investir nesses eventos.

Até os órgãos de controle externo das administrações públicas têm levado “passa fora” e “não tô nem aí” de prefeitos do interior do Estado. É só lembrar que o Ministério Público de Contas (MPC), em janeiro desse ano, enviou recomendação aos prefeitos do interior para não gastarem dinheiro público com festas, mas sim investir em setores prioritários, como saúde e educação.

Mas, com raras exceções, os prefeitos fizeram ouvido de mercador para a recomendação do MPC e realizaram festas assim mesmo – e pelas últimas notícias que chegaram ao Radar vão continuar fazendo. Publicar os gastos no Diário Oficial, isso então, nem pensar! O Radar tentou captar os gastos feitos por esses gestores públicos, mas não conseguiu encontrar nadica de nada sobre o dinheiro público usado nesses mega eventos.

E não adianta enviar questionamentos para essas prefeituras porque elas não mandam respostas. Porém, informações que chegaram ao Radar dão conta, que o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) está com essas prefeituras na sua mira e, nos próximos dias, “o desempenho e as boas práticas com os gastos públicos dos 62 municípios amazonenses” estarão sob análise do TCE.

E os prefeitos, enfim, vão ter que deixar claro cadê o dinheiro público gasto com as festanças!