Prefeitura adia retorno às aulas semi-presenciais até que professores estejam vacinados

Foto: Reprodução/Internet

Os professores somente voltarão às aulas semi-presenciais após a vacinação total da categoria. A decisão ocorreu após os professores da rede municipal de Ensino marcarem uma paralisação no mesmo dia do retorno às salas de aula, como havia sido determinado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) para o próximo dia 18 de maio, conforme noticiado pelo Radar nessa quarta-feira (12). Uma das exigências dos professores para retono às salas de aula é a imunização da categoria, decisão tomada em Assembleia do Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus-Asprom Sindical.

A prefeitura de Manaus enviou uma nota informando que o retorno das aulas semi-presenciais será adiado para o dia 31 de maio quando quando todos os servidores estiverem vacinados contra a Covid-19.

A Semed chegou a determinar que escolas enviassem comunicados aos pais e responsáveis pelos alunos, assim como aos professores sobre o retorno das aulas. No entanto, os profissionais da educação considerando o risco de contaminação por Covid-19, marcaram uma paralisação para o mesmo dia.

De acordo com a Prefeitura, 5.856 profissionais da rede municipal que se encaixam no grupo de prioridades já tomaram a primeira dose da vacina e 3.119 tomaram a segunda dose. Atualmente, a rede municipal de ensino tem 16.019 servidores, faltando mais de 10.000 servidores da rede municipal serem vacinados.

Decisão judicial

Após uma decisão da Justiça Federal, o Ministério da Saúde terá que enviar mais 40 mil doses de vacinas que estiverem em estoque para imunização de professores da rede pública de Manaus (incluindo ensino superior).

O pedido das doses foi feito pela pela prefeitura de Manaus, por meio da Procuradoria Geral do Município(PGM) e tem como objetivo garantir a segurança dos educadores municipais (que retornarão ao formato de ensino híbrido no próximo dia 31), estaduais e de ensino superior.