Por falta de matéria-prima, Prefeitura diz que suspensão da vacinação deve durar 10 dias

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A secretária municipal de Saúde, Shadia Fraxe, explicou durante coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (28), que a suspensão temporária da aplicação da primeira dose da Coronavac e Astrazeneca em Manaus deve durar 10 dias a 15 dias. Segundo Fraxe a paralisação foi recomendada pelo Ministério da Saúde (MS), devido a um atraso no envio de matéria-prima para a fabricação do imunizante.

“Os fatos explicados são por orientação do MS que teve um atraso no envio de matéria-prima para o imunizante CoronaVac e fez com que isso, não só Manaus, com todo Brasil suspender temporariamente a aplicação das primeiras doses até que se restabeleça o envio da matéria-prima e consigamos receber a remessa e continuar com o plano de vacinação”, esclareceu a  secretária Shádia Fraxe durante coletiva de imprensa.

A paralisação pegou muita gente de surpresa que saiu para se vacinar hoje, considerando que não houve um aviso prévio. A secretária relembrou ainda, que inicialmente o Ministério havia recomendado que os municípios usassem todas as doses da CoronaVac, a partir da oitava remessa, como primeiras doses, para acelerar a campanha no Brasil.

A primeira dose da AstraZeneca está sendo aplicada somente para a população ribeirinha, que já estavam garantidas para este público.

A Semsa segue aplicando a segunda dose normalmente nos postos de vacinação. Ao todo, entre primeira e segunda, foram aplicadas 444.503 doses das duas vacinas enviadas pelo MS: CoronaVac/Butantan e AstraZeneca/Oxford.